quinta-feira, 31 de março de 2011

Restaurantes Populares: MDS recebe propostas

Estados e municípios interessados em abrir "Restaurantes Populares no País" tem até o dia 13 para apresentar propostas ao Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS)

O MDS destinará R$ 11 milhões ao programa em 2011. O apoio à implantação dessas unidades busca fortalecer o enfrentamento à extrema pobreza e promover a segurança alimentar e nutricional e a inclusão produtiva das famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. Nesses restaurantes, a refeição custa ao usuário entre R$ 1 e R$ 2.

As propostas devem ser enviadas por meio do Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse (Siconv), do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. O resultado provisório será divulgado no dia 29 de abril e o final sairá no dia 25 de maio. Todas as informações estão detalhadas no edital, disponível na página do MDS na internet (www.mds.gov.br).
Nos restaurantes populares a refeição custa entre R$ 1 e R$ 2

Podem participar da seleção municípios acima de 100 mil habitantes. Serão liberados recursos de até R$ 1,8 milhão para a implantação de restaurante e de R$ 100 mil para modernização das unidades já existentes.

O financiamento será para a construção do prédio, aquisição de equipamentos permanentes, móveis e utensílios. A manutenção e a gestão dos restaurantes serão de responsabilidades das prefeituras ou governos estaduais.

Com apoio do MDS, já foram criados, em todo o País, 67 Bancos de Alimentos, 406 Cozinhas Comunitárias e 89 Restaurantes Populares.

Dengue: Paraná recebe recursos do Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde liberou nesta semana, R$ 410 mil para o combate à dengue em Londrina. Outros dois municípios do Norte também receberão recursos do governo federal. Jacarezinho receberá R$ 101.060,20 e Cornélio Procópio R$ 150.189,20.

Todo o recurso deverá ser aplicado, segundo portaria nº 597, publicada ontem no Diário Oficial da União, em “ações contingenciais relativas à dengue”.

Fonte: Gleisi Senadora

Encontro Paranaense do Direito à Comunicação será neste sábado em Curitiba

A Frente Paranaense pelo Direito à Comunicação e Liberdade de Expressão (Frentex-PR) promove neste sábado, 2 de abril, às 9h, no auditório da APP-Sindicato, em Curitiba, o Encontro Paranaense do Direito à Comunicação, aberto ao público.

A proposta  é rearticular os atores envolvidos na pauta, analisar o cenário político nacional e estadual, fazer o planejamento das ações prioritárias para 2011 e discutir a unidade do movimento no Paraná, tendo em vista os grandes desafios da área no próximo período, como a construção do novo Marco Regulatório das Comunicações e a implementação das resoluções da 1ª Conferência Nacional de Comunicação (Confecom).

quarta-feira, 30 de março de 2011

A Dengue mata. Vamos exterminar o mosquito transmissor?

Embora pareça uma doença comum, transmitida pela picada de um mosquito, a DENGUE MATA. E Já matou 10 pessoas no Paraná.

Vamos exterminar o mosquito Aedes aegypti transmissor da Dengue. Para isso, precisamos cuidar do nosso quintal e ser um pouco bisbilhoteiro: cuidar do terreno do vizinho.

Mantenha a caixa d´água, toneis e barris bem fechados; remova tudo que possa impedir a água de escorrer pelas calhas; não deixe a água da chuva acumular sobre a laje; encha de areia até a borda os pratinhos com plantas; coloque o lixo em sacos plásticos e, de preferência, fora do alcance dos animais. 

Jogue no lixo todo o objetivo que possa acumular água  como pneus, tampas de garrafas, latas, potes, etc...

COEP: 'Mapa de Atitudes Cidadãs" dá visibilidade a quem desenvolve ações sociais no Brasil


Você atua na área social ou conhece alguém que desenvolve uma ação social que merece ser valorizada? Dê visibilidade a estas iniciativas, cadastrando-as no Mapa de Atitudes Cidadãs. 

O Comitê de Entidades no Combate à Fome e pela Vida (COEP) lançou o Mapa de Atitudes Cidadãs, um banco de dados online com cadastro de iniciativas na área social, identificados por localidade.


 A proposta é valorizar as pessoas que desenvolvem ações em comunidades de baixa renda com o foco na promoção dos direitos humanos e no bem estar coletivo.

O Mapa já reúne as iniciativas desenvolvidas pelos candidatos às três edições do Prêmio Betinho Atitude Cidadã, e será uma das fontes de seleção dos concorrentes das próximas edições do prêmio. De Foz do Iguaçu, estão Ivânia Ferronato, da Fundação Nosso Lar; Jaci Alves Marinho, de Furnas e o vencedor do Prêmio em 2009, Padre Giuliano Inzis, da Sociedade Civil Nossa Senhora Aparecida (SCNSA).

“O Mapa amplia a divulgação nacional de ações na área social. A intenção é que estimule a mobilização social em todo o Brasil em prol de uma sociedade mais participativa e consciente de seus direitos e deveres, diz o presidente do COEP, André Spitz.

No Mapa, podem ser cadastrados diversos tipos de iniciativas desenvolvidas por pessoas comprometidas com a causa social, desde as mais simples, como ações de assistência; animação cultural; e promoção da saúde; até iniciativas de capacitação para geração de renda; de defesa dos direitos sociais básicos e de grupos vulneráveis, como idosos, crianças e adolescentes, e quilombolas; e de preservação do meio ambiente.

Para inserir iniciativas no Mapa é fácil, basta acessar o site do COEP  e preencher um pequeno formulário.

“A divulgação das ações dessas lideranças sociais estimula o surgimento de iniciativas semelhantes, valorizando o trabalho de cidadania de pessoas que se empenham para construir caminhos para a transformação social do nosso país e mostra alternativas que possibilitam o fortalecimento da participação social”, ressalta André Spitz.

Sobre o Prêmio Betinho

O Prêmio Betinho - Atitude Cidadã lançado pelo COEP em 2008, com o objetivo de dar rosto, voz e reconhecimento a quem participa ativamente da comunidade onde vive e acredita que cada um – a seu jeito – pode fazer a sua parte para construir um Brasil melhor e mais justo. O Prêmio também quer ser um estímulo para que todos encontrem sua forma de participação.

Saiba mais sobre o Prêmio em: http://www.coepbrasil.org.br/premiobetinho
Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail coep@coepbrasil.org.br ou pelo telefone (21) 2528-2154.

terça-feira, 29 de março de 2011

Gleisi destaca programas de cuidado com a mulher e a criança

 Gleisi Hoffmann destacou na tribuna do Senado em Brasília os programas do Governo Federal voltado às mulher e crianças.


Assista ao vídeo

segunda-feira, 28 de março de 2011

Livro retrata situação de conselhos tutelares do PR



Conselheiros tutelares participaram na última sexta-feira (25) no Hotel Bella Itália para o lançamento da publicação que reuniu uma pesquisa sobre o tema em todo o Paraná.
 
A situação do conselho tutelar de Foz do Iguaçu e de outros instalados nos municípios paranaenses foi retratada em um livro sobre o tema, publicado com apoio da Itaipu Binacional por meio do Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente (PPCA) e lançado na última sexta-feira (25), no Hotel Bella Itália, em Foz.
  
A obra de 95 páginas, escrita por Valtenir Lazzarini e Dorival da Costa, é resultado de uma investigação realizada entre os anos de 2004, 2006 e 2009 em todo o Paraná. A publicação é da Fundação Nosso Lar, de Foz.

  
A pesquisa “Conselhos tutelares no Paraná – Condições de funcionamento e a operacionalização do software SIPIA NBB-MJ (Sistema de Informação de Proteção à Infância e Adolescência / Núcleo Básico Brasil - Ministério da Justiça)” acabou transformada em um livro homônimo.

  

Na prática, o livro reúne proposições de políticas para capacitar os conselheiros no uso do software SIPIA e, ao mesmo tempo, promove uma reflexão sobre a estrutura desses conselhos.
 
“A Itaipu apoiou a pesquisa porque essa publicação mostra a necessidade desses conselhos. As informações facilitarão o intercâmbio entre os conselhos, além de permitir que a comunidade tome conhecimento da realidade vivida pelo órgão no Estado”, afirmou Gládis Mirtha Baez, coordenadora do PPCA (foto ao lado).
    
Infraestrutura
   
Segundo Valternir Lazarini, um dos autores da obra, o objetivo do livro é provocar alterações não somente no sistema, mas também na estrutura de muitos conselhos, que sofrem com carência de investimentos físicos e humanos.

  
Para ele, o mais preocupante é justamente a falta de suporte às equipes. “O conselheiro é um cidadão comum que atua para garantir o direito dos outros, mas como pode fazer isso se o direito dele não é respeitado?”, questionou.
     
Em comum, os conselhos no Paraná não apresentam leis municipais específicas que garantam melhores salários e infraestrutura adequada.

    


Os autores Valtenir Lazzarini e Dorival da Costa, no lançamento do livro em Foz.
  
Em São Pedro do Iguaçu, os conselheiros reclamam desse tipo de dificuldade. Segundo eles, a lista de obstáculos para exercer a função é grande: os computadores estão velhos, não há móveis para arquivar documentos, a equipe não é capacitada para atualizar o sistema disponibilizado pelo governo e a remuneração é baixa.
  
“Recebemos um salário de R$ 552 para atender à comunidade 24 horas. Mas isso parece não incomodar o poder público”, reclama Claudemar Moraes dos Santos, conselheiro tutelar da cidade.

Fonte: JIE

Joel participa de reunião no Ministério do Planejamento: mais investimentos para o Aeroporto de Foz

Joel de Lima participou, na quinta-feira, no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, em Brasília, de uma reunião com o secretário-executivo do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), Maurício Muniz.

Entre os assuntos tratados, investimentos para melhoria e ampliação do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu. Embora a obra já esteja incluída na segunda etapa do PAC, um projeto do Fundo Iguaçu estima uma necessidade de investimento superior ao disponibilizado pelo programa.

Existe este cuidado porque, Foz, segundo a Embratur, é o segundo destino brasileiro para turistas estrangeiros – Rio de Janeiro é o primeiro. Além disso, há outras justificativas: Em 2014, o Brasil será sede de uma Copa do Mundo; a cidade de Foz completa 100 anos, Itaipu completa 40 e o Parque Nacional do Iguaçu, 75 anos. 

Por isso, o grupo apresentou sua proposta de projeto, sugeriu alternativas de fontes de recursos, como concessão do aeroporto ou via Parceria Público-Privada (PPP). O Ministério comprometeu-se a encaminhar o assunto e dar continuidade às conversas.

Joel lembrou que na maioria das vezes Foz do Iguaçu não fica entre as prioridades nacionais por estar fora do eixo das capitais. No entanto quem conhece a cidade sabe o que representa para o país. "Em Foz não se  encontra uma única chaminé na cidade, porém somos o 66º PIB entre os 5.564 municípios do Brasil", defende.
 
Na reunião

Participaram da reunião também a senadora Gleisi Hoffmann; os deputados federais do Paraná Zeca Dirceu e Fernando Giacobo; o prefeito de Foz do Iguaçu, Paulo Mac Donald; Julio Marin, da Secretaria de Assuntos Federativos da Presidência da República; Gilmar Piolla, superintendente de Comunicação Social de Itaipu Binacional e presidente do Fundo Iguaçu;   Wádis Benvenutti, secretário Municipal de Planejamento de Foz do Iguaçu; Felipe Gonzalez, secretário Municipal de Turismo de Foz do Iguaçu; Camilo Roratto, presidente do Instituto de Promoção Turística do Iguaçu – ICVB (Convention & Visitors Bureau); Mauro Sebastiani, presidente da ABIH Regional Foz do Iguaçu; Jorge Pegoraro, chefe do Parque Nacional do Iguaçu – ICMBio e Jaime Nelson Nascimento, presidente do Conselho Municipal de Turismo.

Foto: Cintia Nunes

sexta-feira, 25 de março de 2011

Rede Proteger tem nova coordenação


Gládis Mirtha, Pe Giuliano Inzis e o Secretário Municipal de Assistência Social, Ederson Dalpiaz na reunião da Rede Proteger



A Rede de Proteção Integral à Criança e ao Adolescente (PPCA) escolheu nesta sexta-feira (25) um novo coordenador. O Padre Sérgio Bertotti, diretor da Cáritas Diocesana, substituirá o Padre Giuliano Inzis, da Sociedade Civil Nossa Senhora Aparecida (SCNSA).


A gestão do Padre Sérgio será de um ano, mas poderá ser prorrogada para mais 12 meses. As eleições são realizadas anualmente para que todas as instituições possam coordenar a Rede Proteger. “Buscaremos fortalecer as parcerias entre as entidades da Rede e os governos”, disse o novo coordenador.

Gladis Mirtha Baez, coordenadora do Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente (PPCA), da Itaipu, lembrou que este ano o foco das atividades será a erradicação da pobreza conforme orientações do Governo Federal. “A Itaipu é uma entidade federal e atua com base na meta do governo. Em 2011, todas as nossas ações terão como proposta cuidar para que os direitos dos jovens sejam respeitados e, ao mesmo tempo, erradicar a pobreza”, reforçou.

Novo secretário

Na mesma reunião, realizada no Hotel Bella Itália, o novo Secretário Municipal de Assistência Social, Éderson Dalpiaz foi apresentado à Rede. Ele assumiu a pasta em janeiro, mas ainda não tinha tido contato com os representantes das 40 instituições voltadas a atender crianças e adolescentes que formam a Rede Proteger.

O secretário comprometeu-se a fortalecer o trabalho das instituições e atuar em parceria. “Essas entidades são as executoras das políticas públicas. Trabalharemos em conjunto para garantir que os direitos das crianças sejam respeitados”, afirmou.

Professor Colombo é o novo reitor do Instituto Federal do Paraná (IFPR)

 Professor Colombo em visita ao Campus de Foz
Com 77,38% dos votos válidos, o professor Irineu Mario Colombo foi eleito reitor do Instituto Federal do Paraná (IFPR) para o triênio 2011-2014.

A votação ocorreu nesta quinta-feira (24), em 22 cidades onde o Instituto tem cursos presenciais e à distância. Colombo fez 8.074 votos contra 2.245 de Boanerges Silva.

Em Foz do Iguaçu, o novo reitor obteve 100% dos votos entre os docentes e técnicos administrativos (30 votos). Dos 222 alunos que participaram da eleição, Colombo foi a escolha de 208 (93,7%).
No Campus Avançado de Cascavel, somente os estudantes votaram, pois ainda não há professores e técnicos administrativos. Lá, Colombo conquistou 100% da preferência.

O professor Colombo substituirá Alipio Leal que, no início do ano, assumiu a Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia do Paraná (Seti).

“Colombo possui uma vasta experiência no ensino técnico, conhece a realidade de todo o IFPR e tem compromisso com a qualidade de ensino. Com certeza, consolidará o instituto”, disse o diretor do Campus de Foz, Luiz Carlos Eckstein (foto ao lado).

Biografia

Irineu Mario Colombo nasceu em Medianeira, PR, em 1964. É Professor do IFPR. Doutor em História Social (UnB), Mestre em Educação (UFPR), Licenciado em História (Palmas), Especialista em História Econômica e em Gestão Pública. Fez o curso Normal de Nível Médio e de Iniciação em Eletrônica. Foi Vereador, Deputado Estadual e Federal. Foi Diretor do Ministério da Educação (2007-2008) e Reitor do Instituto Federal de Alagoas (2010).

IFPR
Integrante da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, o IFPR possui 14 unidades em funcionamento em todas as regiões do Paraná. Conta com cerca de 30 mil alunos no Ensino à Distância e sete mil no Ensino Presencial. Atualmente, o Instituto possui 35 cursos técnicos, 18 cursos superiores e um curso de pós-graduação.

Mais informações pelo telefone (45) 3422-5300 ou (41) 8808-8973.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Mais atenção à saúde das presidiárias de Foz, garante convênio

Joel de Lima participou, na segunda-feira (21), em Curitiba, da solenidade de assinatura do termo de cooperação técnica à prevenção e tratamento dos cânceres do colo do útero e mama e de doenças transmissíveis voltados para a população carcerária feminina.

Conforme o documento assinado pelo governador Beto Richa e representantes de várias entidades, prevê o reforço na atenção à saúde para as mais de 32 mil mulheres cumprindo pena no sistema penitenciário brasileiro. As primeiras a serem beneficiadas serão as detentas da Cadeia Pública Laudemir Neves, em Foz do Iguaçu.

O projeto é uma iniciativa do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Rede Feminina Nacional de Combate ao Câncer, em parceria com o Governo do Paraná. Estão previstas palestras, distribuição de material educativo, encaminhamento das detentas e das agentes penitenciárias para exames ginecológicos e mamografias e, quando necessário, tratamento de DST/aids, tuberculose e hepatites B e C, além de orientação para planejamento familiar.

Além de Joel, participaram do evento, o juiz Luciano André Losekann, representando o CNJ; a presidente da Rede Feminina Nacional de Combate ao Câncer, Maria Thereza Simões Falcão; os secretários Maria Tereza Uille Gomes, da Justiça e Cidadania; Michele Caputo Neto, da Saúde; Reinaldo de Almeida César Sobrinho, da Segurança Pública; o prefeito de Foz, Paulo Mac Donald Guisi; representantes do Tribunal de Justiça do Paraná, do Conselho Penitenciário do Paraná e da Federação das Indústrias do Estado do Paraná.

Lançamento: Livro revela realidade dos Conselhos Tutelares paranaenses

A obra “Conselhos Tutelares no Paraná – Condições de funcionamento e a operacionalização do software SIPIA”, de Valtenir Lazzarini (foto à esquerda) e Dorival da Costa”, será lançada, nesta sexta-feira, às 14h, no Hotel Bella Itália, em Foz do Iguaçu.

A publicação que conta com o apoio da Itaipu Binacional, através do Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente (PPCA) e do Fórum Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Fórum DCA/PR), revela a realidade dos Conselhos Tutelares no estado.

Conforme trechos do livro, quase 60% dos Conselhos não atualizam o banco de dados de atendimento, conhecido como SIPIA – Sistema de Informação de Proteção à Infância e Adolescência. A ferramenta, utilizada em todo país, foi criada pra ajudar a sociedade e o governo a conhecerem as principais violações de direitos humanos de crianças e adolescentes.

O levantamento apontou, inclusive que, em 2009, 98% dos Conselhos Tutelares tinham acesso ao SIPIA, entretanto, 58% não utilizavam. Desses, 74% disseram encontrar dificuldades em alimentar a base de dados e 36% afirmaram não estarem capacitados para o uso.

Além da falta de preparo, o baixo-salário é considerado um outro problema à garantia dos direitos da criança.

Para chegar a este resultado, foi feito um raio-X que aponta desde o processo de escolha dos conselheiros tutelares até a existência ou defasagem de equipamentos fundamentais para o exercício do profissional, como computador e telefone. A pesquisa começou em 2004.

Itaipu e Fundo das Nações Unidas assinarão termo de cooperação


A Itaipu e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) assinarão um termo de Cooperação Técnica para trabalhar em parceria na elaboração de projetos nas comissões de Saúde Indígena, Saúde Materno Infantil, Saúde do Idoso e Saúde do Homem do Grupo de Trabalho Itaipu Saúde (GT Itaipu-Saúde). A data da assinatura ainda não foi definida, mas o documento será enviado, na próxima semana, à diretoria jurídica de ambas as instituições.
    
Para determinar as áreas de atuação e conhecer o modelo de trabalho, uma equipe do UNFPA participou, na última terça-feira (22), da reunião mensal do GT Itaipu-Saúde. A reunião foi aberta pela diretora financeira executiva da Itaipu, Margaret Groff.
  

Margaret (à direita) faz a abertura da reunião mensal do GT Itaipu-Saúde, nesta terça (23).
   
A parceria contribuirá para a qualidade das ações do colegiado, pois o Fundo possui muita expertise na área da saúde, direitos humanos, planejamento familiar. Atuam em mais de 100 países.
    
“Nosso papel será sugerir temas, indicar palestrantes e ajudar no planejamento dos cursos, além de disponibilizar materiais de campanhas”, disse a psicóloga Ângela Donini, do UNFPA. 

Fonte: JIE

Zeca Dirceu: Voto em lista na reforma política

A reforma política toma corpo no Congresso Nacional. A Câmara e o Senado já formaram suas comissões e estão convocando audiências públicas para debater as propostas com a participação de entidades como OAB e CNBB.

O PT decidiu criar um comitê de senadores e deputados e de lideranças do partido para mobilizar a sociedade sobre a importância do tema e iniciar conversas com outras legendas sobre o assunto.

No Congresso, o PT vai construir uma maioria em torno de uma proposta que supere o sistema atual, mas que tenha o voto em lista e o financiamento público de campanha, entre quatro pontos, como imprescindíveis e presentes no relatório final das comissões.

É importante dizer que o voto em lista fechada representa também a vontade do eleitor. É um voto no candidato identificado com o programa e com as propostas apresentadas pelo partido nas eleições. Em suma, um voto que respeita o eleitor e sua decisão.

Os que se opõe ao voto em lista dizem que os partidos e seus dirigentes vão impor aos eleitores suas vontades e que a eleição será apenas dos“caciques”, daqueles que comandam a máquina partidária. Isto não é verdade.

No PT, por exemplo, a decisão sobre quem vai ou não ser candidato é dos filiados através do voto direto. Inclusive, os próprios dirigentes petistas são eleitos pelo voto direto da militância.

Os contrários também argumentam que o voto em lista tira o poder de decisão do eleitor. Isso não faz sentido. Se os nomes que estão à frente da lista do partido não agradam o eleitor, obviamente que ele vai escolher outro partido. Ou seja, o eleitor é quem decide sim.

O voto em lista também simplifica e diminui os custos, tira a força do dinheiro privado nas eleições e suas consequências danosas, que geram casos e mais casos de corrupção. É também a única forma de garantir o
financiamento público das campanhas eleitorais.

Vale lembrar ainda que o voto em lista aberta, como ocorre hoje, foi implantado em 1945, personalizou a política brasileira e obrigou a maioria dos partidos a correr atrás de puxadores de votos sem qualquer tipo de
compromisso com o eleitor e a sua vontade. Esse sistema só funciona em três países além do Brasil: Chile, Finlândia e Polônia.

Já a lista fechada é o sistema mais usado no mundo e nas novas democracias como Argentina, Bulgária, Portugal, Moçambique, Espanha, Turquia, Uruguai, Colômbia, Costa Rica, África do Sul e Paraguai. Nesses países, as listas fechadas são escolhidas em prévias partidárias em que todos os filiados votam e definem a ordem da lista.

No Brasil, aprovada a lista fechada, todo processo de escolha e definição dos nomes pelos partidos pode ser acompanhado e fiscalizado pelo Tribunal Superior Eleitoral e suas instâncias.

Além do voto em lista, o novo sistema eleitoral deve garantir ainda a fidelidade partidária, a continuidade do voto proporcional como base de cálculo para o número de parlamentares eleitos por cada partido e o fim de
coligações proporcionais.

São propostas que ganharam consenso no PT e que devem ser levadas ao debate da sociedade, para ganhar força política na construção da reforma política e sua votação no Congresso Nacional.

Todas essas propostas estarão em discussão no Congresso Nacional. E o importante é aprovar uma reforma política que substitua o atual modelo partidário, eleitoral e institucional, que está superado e é inviável.

Sem a reforma, vamos continuar assistindo a judicialização do processo eleitoral, decorrente de um sistema falho, de voto individual, sem fidelidade partidária, que leva à dependência total do poder econômico.

Os que afirmam ser inviável fazer uma reforma política estão subestimando os riscos de uma crise político-institucional que o atual modelo acabará por produzir. A reforma política deve ser construída com todos os partidos e a mobilização da sociedade.

Não será fácil e nem simples. Nunca é. Mas o importante é desencadear o processo no rumo de conquistas no aperfeiçoamento partidário, político-institucional e eleitoral do país: com lista fechada e com respeito à vontade do eleitor.

Zeca Dirceu, 32 anos, é deputado federal pelo PT do Paraná

Novo reitor do IFPR será escolhido nesta quinta-feira

Mais de 20 mil eleitores, entre professores, técnicos administrativos e alunos com mais de 16 anos, dos 14 campis do Instituto Federal do Paraná (IFPR), vão às urnas nesta quinta-feira (24), das 9h às 21h, para escolher um novo reitor. Em Foz do Iguaçu, serão pelo menos 430 eleitores.

Disputam o cargo Irineu Colombo e Boanerges Cândido da Silva. Um dos dois substituirá o professor Luiz Gonzaga Alves de Araújo que assumiu, temporariamente, o cargo após Alipio Leal, ex-reitor do IFPR, ter sido nomeado pelo Governador do Paraná, Beto Richa, como Secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, no início do ano.

A votação será realizada em Seções Eleitorais por segmento, ou seja, de docentes, dos funcionários e dos alunos em cada um dos campis.

Para registrar a preferência, os professores e alunos precisarão apresentar um documento pessoal e assinar o nome na lista oficial de votantes.   Já os estudantes dos cursos de Educação a Distância (EaD), deverão votar nos Polos, de forma presencial, com seu código de aluno e senha de acesso. 

O nome do eleito será conhecido provavelmente ainda no dia 24 de março.

Mais informações pelo telefone (45) 3422-5300 ou (41) 8808-8973

quarta-feira, 23 de março de 2011

Governo Federal terá um cuidado especial com a saúde da mulher

O Governo Federal vai investir R$ 4,5 bilhões ao longo dos próximos quatro anos em ações de fortalecimento da rede de prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer de mama e do câncer de colo de útero. 
 
Ao anunciar o programa, a presidenta Dilma Rousseff lembrou que o câncer é curável se a gente previne e detecta no início. “Eu sou uma beneficiária da prevenção: tive câncer, descobri no começo e me curei. Quero que todas as mulheres tenham acesso às mesmas coisas que eu tive. Vamos trabalhar para que todas tenham perspectiva de cura maior”, destacou Dilma. 

Fico muito feliz ao ver que a presidenta Dilma deu prioridade a um compromisso que assumiu durante a sua campanha de olhar com mais atenção para a saúde da mulher. Segundo estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca), neste ano, o país terá aproximadamente 18,5 mil novos casos de câncer de colo do útero e 49,2 mil de câncer de mama. O orçamento do Ministério da Saúde deste ano destina R$ 261,679 milhões a ações de prevenção de câncer de mama (R$ 176,26 milhões) e de colo de útero (R$ 85,4 milhões).

Fonte: Gleisi Hoffmann

Tire dúvidas sobre como acertar as contas com o Leão

Até 29 de abril, último dia para fazer a delcaração do Imposto de Renda, o consultor Antônio Teixeira Bacalhau, da Declare Certo IOB, responderá diariamente no site www.g1.globo.com cinco perguntas enviadas por internautas.



Para enviar suas questões, clique aqui.


1) Temos uma empregada doméstica, com recibos das mensalidades, porém sem carteira assinada. Podemos informar o pagamento feito a ela em 2010? Em caso afirmativo, onde informamos estes pagamentos? (Valdeúdes Nóbrega de Araújo)
Resposta:
Não é permitida a dedução desses valores, não havendo campo para a informação.
 

2) Fiz um plano de previdência pelo meu banco, mas paguei só três parcelas e cancelei. Recebi um informe de rendimentos desse mesmo banco (Brasilprev VGBL, no valor de 172,80). Devo usar isso para restituição? (Magdala Gonçalves)
Resposta:
Se a opção no início do plano foi pela tributação exclusiva, o valor resgatado deve ser tratado como “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva”. Caso, no início do plano, não tenha havido essa opção, os valores resgatados devem ser lançados em “Rendimentos Recebidos de Pessoa Jurídica”. Confirme no Comprovante de Rendimentos que a instituição financeira forneceu.
 
3) Na declaração de 2009 eu não coloquei meu esposo como dependente, mas ele está desempregado desde julho do ano passado. Devo incluí-lo como dependente na minha declaração? Isso pode me favorecer? Ele faz faculdade, posso incluir isso também? (Magdala Gonçalves)
Resposta:
Sim, o cônjuge pode ser considerado como dependente. Informe o valor da despesa com instrução do dependente em “Pagamentos e Doações”. Utilizando a opção pelas deduções legais, essas despesas são dedutíveis. Informe, também na ficha “Rendimentos Tributáveis Recebidos de PJ pelos Dependentes”, os rendimentos recebidos de janeiro a julho pelo seu esposo.
 
4) Minha avó, que tem mais de 65 anos, é minha dependente. Ela tem uma casa que foi comprada em 1958. Como faço para inserir este imóvel e qual o valor que coloco, já que é a primeira vez que faço declaração? (José Bezerra)
Resposta:
Indique a avó como dependente. Informe em “Bens e Direitos”, nas colunas Ano 2009 e Ano 2010, o custo de aquisição atualizado até 31.12.1995 utilizando-se da tabela constante da IN SRF nº 84/2001 com a discriminação que o bem é do dependente.
 
5) Recebi uma doação de minha sogra no valor de R$ 10 mil para complementar a entrada do apartamento. Durante o ano, devolvi para ela R$ 6 mil. Sou obrigado a detalhar esta movimentação ou posso colocar o saldo das doações, ou seja, que ela me doou R$ 4 mil em 2010? (José Bezerra)
Resposta:
Primeiramente, esclareça-se que toda doação deve ser efetuada por instrumento de doação. Caso não tenha instrumento de doação, considere R$ 10 mil como empréstimo e R$ 4 mil como perdão de dívida. Tendo instrumento de doação, inclua o valor doado em "Rendimentos Isentos e Não tributáveis". Em “Bens e Direitos”, na coluna discriminação, informe o nome, o número de inscrição no CPF do doador, a data e o valor recebido. A coluna intitulada “Situação em 31 de dezembro” não deve ser preenchida

terça-feira, 22 de março de 2011

Brasil doa US$ 500 mil para ajuda humanitária no Japão

O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, anunciou que o governo brasileiro doará US$ 500 mil para tornar viável atividades humanitárias de atendimento emergencial à população atingida pelo terremoto e tsunami ocorridos em 11 de março.

Segundo a assessoria do Itamaraty, por indicação do governo japonês, os recursos serão destinados à Cruz Vermelha daquele país, que os utilizará para a aquisição de suprimentos de primeira necessidade, como alimentos, água, medicamentos, artigos de vestuário e abrigos provisórios.

O Ministério das Relações Exteriores está trabalhando prioritariamente para atender às necessidades dos cidadãos brasileiros no Japão residentes nas áreas afetadas.

A Embaixada do Brasil, bem como os Consulados-Gerais em Tóquio, Nagóia e Hamamatsu trabalharam em esquema de plantão durante o último fim de semana e na segunda-feira, mesmo sendo feriado nacional no Japão, para resposta a mensagens eletrônicas e telefonemas. Em Tóquio, o consulado permaneceu aberto exclusivamente para a emissão de passaportes.

Fonte: Blog do Planalto

segunda-feira, 21 de março de 2011

País rico é país sem pobreza, por Tereza Campello

O plano de erradicação da extrema pobreza terá três eixos: transferência de renda, ampliação de serviços públicos e ações de inclusão produtiva

A nova marca do governo federal demonstra o compromisso da presidente Dilma com a erradicação da pobreza extrema no país. E o primeiro passo nessa direção é o fortalecimento do Programa Bolsa Família, que recebeu significativo aporte de R$ 2,1 bilhões.

Essa medida permite não apenas repor o poder de compra das famílias beneficiárias, com ganho real médio de 8,7% sobre a inflação acumulada de setembro de 2009 a março de 2011, mas, principalmente, concentrar o reajuste na faixa de idade mais vulnerável -entre zero e 15 anos-, que recebeu aumento de 45,5%. A ampliação do valor dado aos jovens entre 16 e 17 anos também foi expressiva, de 15,2%.

Essa determinação torna o programa ainda mais efetivo no combate à pobreza, reforçando os pontos centrais de sua origem: foco nas famílias mais pobres e nas crianças e jovens, parcela da população que apresenta as maiores taxas de pobreza e extrema pobreza.

Hoje, 25% dos beneficiários do Bolsa Família têm até nove anos de idade, e mais de 50% têm idade inferior a 20 anos.

O aumento médio de R$ 19 (de R$ 96 para R$ 115) no benefício equivale ao gasto mensal com arroz e feijão de família com quatro membros, por exemplo.

Estudo sobre o perfil dos beneficiários mostra que as famílias direcionam os recursos à compra de alimentos, roupas, remédios e material escolar, dentre outros itens básicos. Garantir mais recursos às famílias pobres tem efeitos positivos na alimentação, saúde e frequência escolar de milhões de crianças e jovens, além de inibir o ingresso precoce no mundo do trabalho.

Assim, manifesta-se uma dimensão estratégica do Bolsa Família: a interrupção do ciclo intergeracional de pobreza. A oferta de educação e saúde é condicionante do programa. O índice de crianças e adolescentes do Bolsa Família fora da escola é 36% menor em relação aos filhos de famílias não atendidas, revela o Inep; a evasão de adolescentes no ensino médio cai à metade, comparada aos jovens não beneficiários.

A progressão escolar também é maior entre as crianças ejovens do Bolsa Família. A desnutrição infantil das crianças menores de cinco anos (período estratégico para o desenvolvimento das capacidades cognitivas) atendidas pelo programa caiu de 12,5% para 4,8%, nos anos de 2003 a 2008.

Além de garantir melhores condições de vida a 50 milhões de brasileiras e brasileiros, o programa ajuda a economia do país.

Cada R$ 1 direcionado ao programa aumenta em R$ 1,44 o PIB. Os beneficiários estão distribuídos por todo o país, mais um instrumento de apoio à redução das desigualdades regionais. Tais números comprovam a importância do Bolsa Família como parte da estratégia do governo de enfrentamento à pobreza.

O plano de erradicação da extrema pobreza terá três eixos: a transferência de renda é um deles. Os outros dois são a ampliação e qualificação dos serviços públicos, com ênfase no acesso, para melhorar as condições de vida dos brasileiros; e as ações de inclusão produtiva, para ampliar as oportunidades. Os três eixos expressam o convencimento de que a pobreza não se reduz ao indicador de renda, mas incorpora a dimensão de bem-estar social. Finalmente, estamos inovando no modelo de gestão e monitoramento para garantir o cumprimento das metas do plano.

O melhor investimento público é aquele direcionado ao ser humano. Não seremos uma nação capaz de desenvolver todo o seu potencial enquanto persistir a pobreza, entrave ao desenvolvimento econômico e social. País rico é país sem pobreza.

Tereza Campello é ministra de Estado do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

Fonte: Folha de São Paulo

domingo, 20 de março de 2011

Joel é homenageado pelos “Meninos do Lago”

 Homenagen foi feita neste domingo, antes iniciar a competição

Joel de Lima, recebeu dos integrantes do projeto “Meninos do Lago” uma placa de reconhecimento ao apoio de Itaipu na preparação dos atletas. A entrega ocorreu, nesta manhã de domingo, pouco antes dos garotos e garotas colocarem os uniformes e cair na água para participar do último dia da Seletiva de Canoagem.

O “Meninos do Lago” é mantido pela Itaipu, através do Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente (PPCA) e Confederação Brasileira de Canoagem (CBCA). Atualmente, cem adolescentes de escolas públicas de Foz do Iguaçu treinam diariamente no Canal Itaipu. Paralelo às aulas de canoagem, recebem orientações sobre cuidado com o meio ambiente e responsabilidade social.

Ao agradecer a homenagem, Joel lembrou os garotos o objetivo do projeto. “Hoje, temos uma competição, mas independente do resultado esportivo, já são vencedores”, destacou. Embora a meta seja preparar atletas para as Olimpíadas de 2016, neste primeiro momento, o crescimento pessoal de cada um justifica o investimento de Itaipu. “Mesmo de longe acompanhamos o desenvolvimento de cada integrante da equipe. Inclusive, as notas escolares”, afirmou.



Bons frutos
 
O investimento está gerando resultados positivos. Cristiane Gomes de 16 anos (foto à direita) é uma das atletas. “Antes de entrar para o “Meninos do Lago” não fazia nada, passava o dia na rua. Agora, tenho compromissos e metas a cumprir”, relatou. Na escola as notas mudaram de cor, de vermelhas passaram a azul. “Até minha forma física melhorou”, contou.

Desde quando iniciou no projeto, em 2009, o sonho de Mateus Aristides, de 15 anos (foto à esquerda), é participar das Olimpíadas. Para conseguir o objetivo treina todos os dias no Canal de Itaipu. “Tenho cinco anos pela frente. Vou aproveitar cada dia”, disse o garoto. Sem ser pessimista, Mateus contou: “Mesmo se não conseguir, já estou feliz. Minha vida mudou muito nesses dois anos. Aqui somos uma família, um ajuda o outro. Até perdi a timidez”.

“Não podíamos deixar de agradecer Itaipu neste dia. Sem o apoio da empresa, seria impossível preparar estes atletas para esta e para as outras competições”, disse o superintendente da CBCA, Argos Rodrigues.

sábado, 19 de março de 2011

Mais recursos para os municípios da região

O prefeito de Entre Rios do Oeste, Élcio Zimermann, presidente o Conselho dos Municípios Lindeiros; o secretário-executivo da Agência de Desenvolvimento do Extremo Oeste do Paraná (Adeop), Elcídio Cavalante e Júlio Hector Marin (Paco), coordenador do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) nos municípios da Região Sul, participaram de uma reunião com o Joel de Lima, assistente do diretor-geral brasileiro, na sexta-feira (18), no Centro Executivo da Itaipu.

O objetivo do encontro foi incentivar os municípios a apresentarem projetos ao Governo Federal e, assim, captar recursos para investir na região. “Em 2011, o foco do PAC será obras de saneamento e habitação. As prefeituras devem apresentar planos de trabalho nesta área”, disse. O governo libera, inclusive, verbas para a elaboração dos projetos.

O representante dos lindeiros aproveitou o momento para pedir a ajuda da Itaipu para colocar em prática um projeto que visa aproveitar dejetos de animais na produção de energia em Entre Rios do Oeste. A cidade, de 5 mil habitantes, possui 120 mil porcos e 6 mil bois e vacas. Uma média de 25 animais para cada morador de Entre Rios. “Hoje todo o resíduo, que não é pouco, vai para os Rios. Com esta atividade, será possível reduzir a poluição da água e gerar renda”, defendeu o Zimermann. Segundo Elcídio, Entre Rios será um piloto, mas a ideia é replicar em outros municípios vizinhos.

Joel, como representante do governo federal no Núcleo Regional de Fronteira do Paraná, que será instalado no dia 26 de abril, fará a interlocução com a área de Energias Renováveis da Itaipu e os Ministérios da Saúde e Integração. 

sexta-feira, 18 de março de 2011

Núcleo Regional de Fronteira do Paraná será lançado em abril

O Núcleo Regional de Fronteira do Paraná tem data marcada para começar a funcionar: 26 de abril. O lançamento será em Brasília no Ministério da Integração Nacional, proponente do colegiado. O diretor-geral da Itaipu, Jorge Samek, já confirmou presença no evento que, também, contará com a participação de vários ministros. 

A data da implantação foi decida nesta quinta-feira, em uma reunião com a presença de representantes dos governos Federal, Estadual e Municipal, na Itaipu Binacional. Foram definidos, ainda, os nomes dos coordenadores do Núcleo: pelo Governo Federal, o representante será o assistente do diretor-geral da Itaipu, Joel de Lima; pelos municípios da região, o vice-prefeito de Foz, Francisco Lacerda Brasileiro. O representante do Estado será escolhido na próxima semana.

Até o lançamento, caberá aos coordenadores determinar como o Núcleo será institucionalizado. Seja por intermédio de Decreto Presidencial, Portaria ou Termo de Cooperação entre as instituições parceiras como Itaipu, Receita Federal, Polícia Federal, Municípios, Ministérios e Secretarias Estaduais. “Será muito importante para a nossa região, pois o Núcleo será o elo entre a fronteira e o Governo Federal. Nos próximos 40 dias trabalharemos na elaboração do documento. Deixaremos pronto para o lançamento em Brasília”, disse Joel.

Embora, na maioria das vezes, a fronteira seja vista como um problema, há muitas potencialidades a ser ressaltadas. “Somos uma fronteira rica. Temos uma das maiores produções agrícolas, tanto do lado brasileiro como paraguaio. Precisamos valorizar esta região”, destacou Joel.

Pioneiro

O Paraná será o primeiro a contar com este espaço de discussão. Entretanto, outros 10 estados fronteiriços, como Sergipe, Rio Grande do Sul, Amapá e Mato Grosso do Sul, também serão beneficiados.

Conforme explicou Cláudia Cybelle Freire, coordenadora geral de Programas Macro Regionais, do Ministério da Integração Nacional, esses grupos terão a responsabilidade de organizar, propor e adequar as políticas públicas do Governo Federal à região fronteiriça. Como por exemplo, ações na área de segurança pública, exportação, migração e saúde. “As cidades gêmeas têm perfil diferente dos outros municípios brasileiros, por isso, exigem um olhar e, sobretudo, investimentos diferenciados”, pontuou.

Alberto Kleimann, da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência República, reiterou. “A meta é cuidar da fronteira. Trabalhar de forma articulada: municípios, estado e país”, disse.

Segundo Alberto, desde a indicação dos nomes até a proposição de projetos serão apontados pelos atores locais, por pessoas que conhecem a realidade da região. “Queremos levar os temas da fronteira para o centro das discussões”, frisou.

A criação do Núcleo é resultado do Decreto de 8 de setembro de 2010, assinado pelo então Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, que instituiu a Comissão Permanente para o Desenvolvimento e a Integração da Faixa de Fronteira (CDIF).

quinta-feira, 17 de março de 2011

Inscrições para cursos de Alimentos, Hospedagem e Recepcionistas encerram nesta sexta-feira (18)

O Instituto Federal do Paraná (IFPR) em parceria com o Instituto para o Desenvolvimento da Região Trinacional (Polo Iguassu) oferecem, gratuitamente, cursos na área de Alimentos e Bebidas, Qualificação e Meios de Hospedagem a jovens da região.

O objetivo é qualificar profissionais que atuam no setor turístico de Foz do Iguaçu. 

Ao todo serão ofertadas 300 vagas divididas em 10 cursos: Cozinheiro, Commis, Sommelier, Garçom, Churrasqueiro, Recepcionista, Reparador, Mensageiro, Camareira e Qualificação para Gerentes e Supervisores.

Os interessados têm até sexta-feira, 18, para fazer a pré-inscrição. O cadastro pode ser feito no Shopping Cataratas, na secretaria do IFPR ou pelos sites: www.destinodeexcelencia.org.br ou www.ifpr.edu.br.
Para participar, o candidato deve comprovar no mínimo seis meses de experiência em algumas dessas áreas, ter mais de 18 anos e Ensino Fundamental completo.

Após a pré-inscrição, os interessados participarão de uma palestra e uma entrevista. Terão direito à matrícula os jovens que apresentarem os melhores desempenhos nas atividades.

Cada curso tem duração de 160 horas divididas em aulas práticas e teóricas três vezes por semana, no contra-turno do trabalho.

Mais informações pelo telefone (45) 3576-419 ou no site: www.destinodeexcelencia.org.br.

Curso capacitará gestores a captar recursos públicos

Coordenadores das instituições que formam a Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente (Rede Proteger) e funcionários de prefeituras da região Oeste participam, nesta sexta-feira e sábado, do 1o módulo da capacitação “Planejamento, Captação e Gestão de Recursos Públicos com foco no Terceiro Setor”.  As atividades serão ministradas no Hotel Bella Itália, com início às 9h.

O treinamento é promovido pela Cáritas Diocesana e conta com o apoio do Hospital Ministro Costa Cavalcanti e da Itaipu Binacional, através do Programa de Proteção á Criança e ao Adolescente (PPCA).

“As entidades e ONGs de Foz do Iguaçu desenvolvem trabalhos sérios no cuidado de meninos e meninas, mas na maioria das vezes, são obrigadas a abandonar um projeto por falta de dinheiro”, explica a coordenadora do PPCA, Gládis Mirtha Baez.

Nesse sentido, a proposta do curso é ensinar esses gestores a elaborar projetos e buscar os recursos, seja, de empresas ou dos governos municipais, estaduais e federais. Também a administrar e prestar contas.

O assistente do diretor-geral, Joel de Lima, destaca que, na Itaipu, por exemplo, alguns convênios deixam de ser firmados pela falta de uma proposta bem estruturada. Em outros casos, as verbas são suspensas por haver falhas nas prestações de contas. “Há recursos disponíveis nos governos para patrocinar projetos sociais, cabe as entidades saber como captá-los. Este curso com vai auxiliar”, afirma.

Para o padre Sérgio Bertotti, presidente da Cáritas, essa capacitação ampliará os horizontes destas instituições para que possam expandir seus serviços e ter condições de buscar novas parcerias.

Módulos

A capacitação será dividida em dois módulos, com 24 horas duração. O primeiro a ser realizado nesta sexta-feira e sábado terá como foco a captação, a gestão e a prestação de contas do dinheiro público. A aula será ministrada pelo economista e responsável pelo monitoramento das ações do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), no Ministério da Cultura, Geraldo Horta Alvarenga e, por Jean Claude O`Donnell, Auditor Federal de Controle Externo do Tribunal de Contas da União.
No segundo encontro, marcado para os dias 7 e 8 de abril, o assunto será: “Planejamento e Orçamento Público”, com Enio José Verri, doutor em economia, Deputado Estadual pelo Paraná e ex-chefe de Gabinete do Ministério de Planejamento, Orçamento e Gestão e Secretario do Planejamento do Governo do Paraná.

Detalhes do Núcleo Regional de Fronteira serão definidos nesta quinta-feira


Nesta quinta-feira, às 8h30, Joel participou de uma reunião de alinhamento com Júlio Hector Marín, coordenador do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) nos municípios da Região Sul e representantes da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República.


Representantes governos municipal, estadual e federam reúnem-se nesta quinta-feira, a partir das 9h, no Centro Executivo da Itaipu, para definir a implantação do Núcleo Regional de Fronteira, no Paraná.

O objetivo do Núcleo é apresentar ações para o desenvolvimento na faixa de fronteira, estimulando a integração das políticas públicas e a parceria com os demais órgãos públicos.

quarta-feira, 16 de março de 2011

Plugado! oferece cursos de teatro e dança nas escolas de Foz

Alunos aprenderão a interpretar e elaborar peças teatrais. Os cursos são de graça

Estudantes de escolas públicas de Foz do Iguaçu podem se inscrever para participar das oficinas de teatro e dança, oferecidas pelo projeto Plugado – Canais Ligados na Cultura!, mantido pela Casa do Teatro e Itaipu Binacional, através do Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente (PPCA). Ao todo serão ofertadas 400 vagas.

Para participar, os alunos precisam entrar em contato com os agentes culturais do projeto Plugado!, na própria escola e preencher a ficha de inscrição. A única exigência é ter vontade de aprender e comprovar a frequência escolar. As secretarias das instituições também podem prestar informações.

Cursos

Os cursos começam já na segunda-feira, 21, na própria unidade escolar.  Dividido em módulos de quatro meses, o programa abrange técnicas de formação de atores e dançarinos e a montagem de espetáculos, que são apresentados no final do semestre, durante a Mostra da Cidadania. O evento reúne os resultados artísticos e culturais do projeto.

Uma boa conversa

Entre as aulas, os alunos do Plugado! participam de terapias coletivas chamadas de “Rodas de Conversa”, onde debatem e buscam soluções para conflitos do cotidiano, como por exemplo, violência contra a juventude, racismo e preconceito, sexualidade e direitos reprodutivos, exploração sexual, entre outros. “Estas oficinas garantem a formação profissional e cultural dos jovens iguaçuenses e, ao mesmo tempo, contribuem para a redução da violência. Enquanto fazem atividades, estão longe das ruas e de pessoas mal intencionadas”, afirma Gládiz Mirtha Baez, coordenadora do PPCA.

Para o assistente do diretor-geral da Itaipu, Joel de Lima, ao fortalecer e incentivar práticas que unem escola e comunidade, ainda, professores e estudantes, é possível despertar a consciência para os problemas e soluções que interferem na vida de todos. “A busca pela paz e a condenação da violência, são alguns exemplos”, completa.

Nesta linha, a Itaipu apoia e impulsiona iniciativas da sociedade civil que ajudam a elevar as condições e a qualidade de vida das pessoas, ajudando a construir uma cidade, um estado e quem sabe, um país melhor.

Estreia programa Brasileiras: políticas públicas para mulheres

A Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República lançou, nesta quarta-feira (16), o programa "Brasileiras", uma edição especial do Brasil em Pauta, que vai ao ar mensalmente.

Serão exibidos dez programas em 2011, e, exceto pelo primeiro, abordarão temas específicos em cada edição, e terão como participantes técnicas do governo federal. O programa será transmitido ao vivo pela TV NBR, das 8h às 9h, e poderá ser acompanhado também por meio de link no sítio da Secretaria de Imprensa da Presidência da República que, também oferecerá o arquivo de áudio após a exibição.

Na estreia, a ministra da Secretaria de Políticas para Mulheres, Iriny Lopes, falou sobre as principais ações do governo para as brasileiras, como o desenvolvimento de políticas públicas para as mulheres e erradicação da pobreza, além de tratar da Lei Maria da Penha, da 3ª Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres e do enfrentamento à violência.

1º Encontro Estadual dos Blogueiros Progressistas do Paraná será de 9 a 10 de abril

Confira a programação do 1º Encontro Estadual dos Blogueiros Progressitas do Paraná, de 9 a 10 de abril no Hotel Trevi (www.trevihotel.com.br/mapa.html), no Centro de Curitiba.

Serão dois dias de muitos debates sobre temas ligados ao jornalismo na internet e a liberdade de expressão nas novas redes de comunicação social, eleições e muito mais. Veja a seguir a íntegra da programação:

Sábado 09/04
Manhã
9:00 Abertura
9:30 Painel: A importância do jornalismo no blogs
11:00 Debate em Plenário
12:30 Almoço
Tarde
14:00 Painel: Mídia, eleições 2010 e os desafios para a blogosfera
15:30 Debate em Plenário
18:00 Encerramento do dia

Domingo 10/04

Manhã
09:00 Conteúdo Local e sua ligação com os temas regionais, estaduais e nacionais
10:00 Debate em Plenário
11:00 Trabalho em Grupos
1.Liberdade de Expressão e Internet
2.A internet, a cidadania e Movimentos Sociais
3.A experiência dos organizações sociais e populares com internet
4.Plano Nacional de Banda Larga, a Banda Larga Pública
5.A nova regulamentação das mídias e estratégias de mobilização para defesa das Liberdades e da Cidadania
6.Estratégias de formação de cidadãos ativos e conectados via internet
7.Conteúdo prioritário para os Blogs: O papel da Narrativa, da Pesquisa, da Informação e da Opinião
13:00 Almoço

Tarde
15:00 Apresentação dos grupos
16:00 Decisões do Encontro Estadual
Para participar do I Encontro Estadual dos Blogueiros Progressistas no PR, inscreva-se aqui.

O Paraná e a agricultura brasileira, por Zeca Dirceu

Nesta semana, o IBGE confirmou que o Paraná retomou a posição de liderança na produção nacional de grãos. São 31 milhões de toneladas na safra 2010/2011. Mais do que espetacular, é sempre bom lembrar que o Estado, com apenas 2,3% do território nacional, participa com 20% na produção e já chegou a representar 25% na última década.

A performance paranaense exemplifica o ótimo momento da agropecuária brasileira. Nos últimos anos, o setor contribui, e muito, com o desenvolvimento, com a geração de empregos e com o crescimento da economia do país.

É a atividade que mais cresceu nos últimos dez anos. A média do PIB (Produto Interno Bruto) do setor aponta um crescimento anual de 3,67%, enquanto o PIB geral do país mostra avanço de 3,59% (média por ano). Em 2010, o PIB brasileiro totalizou R$ 3,7 trilhões, e o PIB da agropecuária, R$ 180,8 bilhões.

Esse desempenho é resultado do empenho e do esforço dos produtores, somados às grandes mudanças da última década no setor. Entre elas, notadamente, o aumento do crédito rural. Foram mais de R$ 270 bilhões entre 2003 e 2010.

O governo federal, atento às mudanças, aumentou ainda mais o volume de recursos ao crédito para acompanhar o crescimento da produção. Nesta safra, os produtores rurais têm R$ 100 bilhões em crédito para custeio e investimentos. A agricultura familiar tem R$ 16 bilhões. Na safra passada, o total do crédito agrícola foi de R$ 107,5 bilhões.

Além do crédito, as mudanças vieram com a modernização do parque de máquinas e com a inserção brasileira no mercado internacional.  O país se fortaleceu no comércio de produtos em que antes não tinha tradição, como o de carnes e sucos, entre outros. No setor, as exportações brasileiras chegam hoje em 215 países.

Todas as medidas e ações, das empresas e do setor público, potencializaram o agronegócio brasileiro, que fechou 2010 com superávit superior a U$ 60 bilhões. O setor é responsável por quase metade das exportações brasileiras, que totalizaram US$ 72 bilhões, enquanto as importações foram de US$ 12 bilhões.

No entanto, há gargalos consideráveis que precisam ser enfrentados para baixar os custos de produção e tornar o produto brasileiro mais competitivo no mercado internacional. É preciso investimentos significativos em logística, armazenamento, nas estradas rurais, nas rodovias e em novos modais no transporte de safras, substituindo, por exemplo, o transporte rodoviário por ferrovias, portos e aeroportos.

Na outra ponta se faz necessário, além do crédito e de incentivos, dotar os pequenos e médios produtores de informação, tecnologia e assistência técnica. São ações que vão assegurar à agricultura familiar atributos e
qualidades empresariais, evitando que ela degenere numa agricultura de subsistência.

Há bons exemplos nos municípios brasileiros. Em Cruzeiro do Oeste, no Noroeste do Paraná, o programa Terra Fértil subsidia a produção, reduz custos, aumenta a produtividade, aumenta a renda e o emprego no campo. A doação de mudas, a distribuição de calcário e adubo, a adequação das estradas rurais, a mecanização agrícola trazem resultados significativos e de excelência nas pequenas e médias propriedades.

Com investimentos em vários níveis nas duas pontas da produção – do pequeno ao grande produtor –, o país vai resolver seus gargalos e se tornar, como prevê a FAO, o maior produtor de alimentos do mundo. A produção agrícola brasileira aumentará 40% até 2019 – crescimento superior ao da Rússia, Ucrânia, China e Índia, que devem registrar percentual médio superior a 20% no mesmo período.

É esse o desafio que se apresenta nesta década.

* Zeca Dirceu, 32 anos, é deputado federal pelo PT do Paraná

terça-feira, 15 de março de 2011

Paraná ganhará Núcleo Regional de Fronteira

Será implantado no Paraná um Núcleo Regional cujo objetivo é apresentar ações para o desenvolvimento na faixa de fronteira, estimulando a integração das políticas públicas e a parceria com os demais órgãos públicos.

Detalhes da formatação serão definidos nesta quinta-feira, por representantes dos Governos Municipais, Estaduais e Federais do Brasil. A reunião será às 9h, no Centro Executivo, da Itaipu Binacional.

Proposto pelo Grupo de Trabalho Interfederativo de Integração Fronteiriça, do Ministério da Integração Nacional, o Núcleo contará com a participação das três esferas de governo e se reunirá periodicamente.

O Paraná será o primeiro a contar com este espaço de discussão. Nos próximos meses, outros estados fronteiriços, como por exemplo, o Rio Grande do Sul e o Mato Grosso do Sul, também serão beneficiados.

Mais ações

O Núcleo terá como papel, ainda, propor o desenvolvimento de sistema de informações para o gerenciamento das ações; apresentar planos regionalizados de desenvolvimento da região e, também, interagir com os demais núcleos regionais a serem criados para debater questões de desenvolvimento e integração fronteiriços.

A criação do Núcleo é resultado do Decreto de 8 de setembro de 2010, assinado pelo então Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, que instituiu a Comissão Permanente para o Desenvolvimento e a Integração da Faixa de Fronteira (CDIF).

Não perca: Espetáculo "O Pescador" estreia nesta sexta-feira

O espetáculo "O Pescador", do Grupo de Teatro Universitário Anglo-Americano estreia nesta sexta-feira, 18. Baseada na obra de Oscar Wilde, a peça será apresentada às 20h, no Auditório do SEST/SENAT.

Os ingressos custam R$ 10 ( meia entrada R$5) e estão a venda na Secretaria das Coordenações da Faculdade Anglo-Americano.


segunda-feira, 14 de março de 2011

Resultado do concurso para Assistente de Alunos do IFPR será divulgado dia 30

Mais de 200 candidatos fizeram a prova no domingo

O resultado do concurso promovido pelo Instituto Federal do Paraná (IFPR), no último domingo, 13, para selecionar Assistentes de Alunos será divulgado no dia 30 de março. Ao todo serão convocados 16 profissionais para ocupar as vagas em aberto nos campus de Curitiba, Foz do Iguaçu, Londrina, Jacarezinho, Umuarama, Paranavaí, Telêmaco Borba, Campo Largo, Ivaiporã e Assis Chateaubriand.

Em Foz serão preenchidas duas vagas. No entanto, a concorrência foi acirrada. Dos 332 inscritos, 251 participaram do processo seletivo.

De acordo com o diretor do IFPR em Foz, Luiz Carlos Eckstein, embora o edital exigisse apenas nível médio, grande parte dos concorrentes possui algum curso de graduação. O salário inicial será R$ 1.473,58, mais benefícios, como vale alimentação de R$ 304 vale transporte e auxílio saúde. “Acredito que a remuneração não tenha sido o principal chamariz, mas a oportunidade de ser funcionário federal. No instituto temos planos de cargos e salários”, destacou.

Mais informações pelo telefone (45) 3422-5300 ou (41) 8808-8973 ou pelo site: www.ifpr.edu.br

Dr. Rosinha defende atualização do Estatuto do Idoso

O deputado Dr. Rosinha (PT-PR) defendeu na última quinta-feira (10) uma ampla atualização do Estatuto do Idoso. De acordo com o deputado, que será secretário-geral da Frente Parlamentar em Apoio ao Idoso, o Estatuto, que completou 10 anos, já apresenta defasagens no atendimento às necessidades da população da melhor idade do País.

A frente recebeu a adesão de mais de 230 deputados.

"Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), apontam que a população brasileira está ficando cada vez mais idosa. Isso é um importante indicador de que este segmento necessita de mais atenção, tanto do ponto de vista da assistência, quanto da garantia de direitos na legislação", explicou Rosinha.

Segundo o parlamentar, apesar de desatualizado, o Estatuto do Idoso vem se configurando como uma importante ferramenta de defesa dos direitos dos idosos no Brasil. A maior parte de suas cláusulas, estão sendo respeitadas e cada vez mais a população toma conhecimento desta legislação.

Senadora faz palestras em comemoração ao Dia Internacional da Mulher



Gleisi fala às mulheres que lotaram o auditório do Hotel Bella Itália, na sexta-feira (11), em Foz.
  
Mais de 400 mulheres participaram da palestra “A mulher nos espaços de poder – o papel da mulher no Senado Federal”, ministrada pela senadora Gleisi Hoffmann na noite de sexta-feira (11), no Hotel Bella Itália, em Foz do Iguaçu. Um pouco antes, a senadora fez outra palestra, em Medianeira, intitulada “Por uma cultura de paz e de não-violência doméstica e familiar”. Lá o encontro reuniu 600 mulheres. Ambos os encontros contaram com o apoio da Itaipu, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, celebrado no último dia 8.
    
Na abertura do evento em Foz, o assistente do diretor-geral, Joel de Lima, relembrou a trajetória da senadora na região. Em 2003, quando a Itaipu ampliou sua missão institucional, Gleisi era diretora financeira da binacional. “Com a sensibilidade de mulher, conseguiu colocar nas pautas de discussões temas como a saúde, equidade de gênero, proteção à criança e ao adolescente”, disse Lima. A senadora acrescentou: “Muito do que sou hoje, levei da experiência conquistada em Itaipu e nesta região”.

  

Joel de Lima relembrou a trajetória da senadora na região.
    
Mulher no Poder

      
A senadora incentivou as mulheres a buscarem seus espaços na política. Na avaliação de Gleisi, a maior participação feminina é uma tendência. “Temos uma presidenta e o maior número de mulheres na história do Senado Federal, com 12 senadoras”, destacou.
  
Com esta força, segundo Gleisi, as mulheres contribuirão para a reforma política. Para a senadora, o Brasil deve adotar medidas semelhantes às da Argentina e Chile, onde existem cotas para mulheres no parlamento.
    


Segundo a ex-diretora de Itaipu e hoje senadora, as mulheres já obtiveram muitas conquistas, mas ainda há muito por fazer.
   
Conquistas
    
Gleisi citou outras conquistas recentes das mulheres brasileiras. A aposentadoria para as donas de casa é uma delas. Em 2006, foi aprovada uma emenda reconhecendo os direitos do trabalhador doméstico e em seguida veio a Lei complementar 123/06, que previu a contribuição de uma alíquota de 11% para o tempo de contribuição, que deve ser de 15 anos.


Entretanto, não atendeu as mulheres mais idosas. Para beneficiar este público, Gleisi propôs, na semana passada, um novo projeto. Donas de casa, com mais de 60 anos contribuem por dois anos e depois, estão aptas a receber os benefícios da Previdência. Para ela, o novo projeto significa um avanço para o país.
    
Desafios
    
Está em estudo no Senado um projeto para fortalecer as políticas públicas em prol do público feminino. É uma alteração na Lei Maria da Penha, que prevê a redução da violência doméstica. Hoje, os agressores têm benefício de pena. Não ficam presos, apenas pagam com serviços comunitários. “Queremos que o agressor seja punido, pois, na minha avaliação, a violência doméstica é o pior tipo de violência", disse Gleisi. De acordo com a senadora, outro desafio atual é exigir curso superior para as atendentes de creches e professoras do Ensino Infantil.


Fonte: JIE

Homenagem para mim, dos amigos

Dia 10 foi meu aniversário. Dos colegas de trabalho, recebi uma homenagem.
Obrigado


Festa para Joel, o motociclista

Mesa caprichada e festa com os amigos. Aniversário comemorado em grande estilo.

Apaixonado por motocicletas, Joel de Lima, assistente do diretor-geral brasileiro, Jorge Samek, foi surpreendido pelos colegas no dia do seu aniversário, nesta quinta-feira (10).

Além da festa-surpresa caprichada, com direito um belo café da manhã, bolo e velinha, Joel ganhou de presente uma reprodução da legendária Indian Four, modelo 1938, que marcou época nos Estados Unidos e ganhou as estradas do mundo. Um presente e tanto.




Joel é surpreendido pelo presente inusitado. Abaixo, a Indian e a Harley (à dir.), em escala real.
   
A Indian agora fará companhia a outro clássico do motociclismo, a Harley Davidson. Esta, porém, Joel tem em tamanho real.

Dos amigos da Divisão de Imprensa, um grande abraço pelo aniversário.

Fonte: JIE

sábado, 12 de março de 2011

Começa período de campanha para reitor do IPFR

Prof. Colombo visita IFPR em Foz para conversar com alunos e professores

Começou esta semana o período de campanha para os dois candidatos a reitor do Instituto Federal do Paraná (IPFR): Irineu Colombo e Boanerges Cândido da Silva

Ambos buscam a preferência dos mais de 20 mil eleitores, entre professores, técnicos administrativos e alunos com mais de 16 anos, dos 14 campis da Instituição espalhadas pelo Paraná.  Em Foz do Iguaçu, serão pelo menos 430 eleitores. 

Nesta quinta-feira, 10, Colombo, um dos fundados do Instituto visitou o campus de Foz para conversar e apresentar suas propostas aos alunos, técnicos administrativos e professores. Ele é docente de História do IPFR e doutor em História pela Universidade de Brasília

Com o slogam “Novos rumos, participação e transparência”, a meta de Colombo é fortalecer a instituição e valorizar o corpo docente. “O IFPR está pronto. Precisamos agora, apenas fortalecer como uma das maiores instituições de ensino do Brasil”, disse. Para isso, prometeu mais salas de aulas, melhores laboratórios e contratação de novos professores e servidores. “Nossa meta para Foz é implantar nos próximos meses dois cursos superiores: Física e Aquicultura”, afirmou.

Eleição
A escolha do novo reitor ocorrerá no dia 22. O nome do eleito será conhecido no dia 29 de março.
O novo reitor substituirá o professor Luiz Gonzaga Alves de Araújo que assumiu, temporariamente, o cargo após Alipio Leal, ex-reitor do IFPR, ter sido nomeado pelo Governador do Paraná, Beto Richa, como Secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, no início do ano.

O mandato será de quatro anos, mas podendo ser renovado para outros quatro.

sexta-feira, 11 de março de 2011

Gleisi defende aposentadoria para donas de casa

Nesta quinta-feira (10) Gleisi Hoffmann apresentou no Senado Federal o Projeto de Lei instituindo uma regra de transição para beneficiar donas de casa com mais de 45 anos que desejam ingressar no Regime Simplificado da Previdência Social.

Esse era um de seus compromissos de campanha: lutar para que as donas de casa tenham o direito à Aposentadoria.

A Lei Complementar 123/06, que definiu este regime simplificado, previu a contribuição de uma alíquota de 11%, mas não criou uma regra de transição para o tempo desta contribuição, que deve ser de 15 anos.

O tempo mínimo de 15 anos impossibilita que mulheres mais idosas possam usufruir do benefício previsto, uma vez que só conseguiriam recebê-lo em idade já avançada.

Para solucionar o problema, a senadora propôs um novo Projeto, uma carência escalonada de, no mínimo, dois anos, com idade mínima de 60 anos para se aposentar como dona de casa. Assim, as mulheres com 58 anos ou mais, inscritas no regime simplificado até o último dia deste ano, poderão se aposentar com dois anos de contribuição. Já as de 56 anos teriam de pagar quatro anos de contribuição, e assim por diante.

Segundo o Projeto apresentado, as donas de casa que começaram a pagar a contribuição, no sistema simplificado, logo após a edição da Lei Complementar 123/06, já poderão se aposentar no ano que vem, desde que já tenham completado 60 anos de idade.

Na opinião de Gleisi, embora o trabalho das donas de casa, na maiorida das vezes, não é reconhecido com o devido valor pela sociedade, cuidar dos filhos, limpar a casa, preparar a comida, fazer compras, manter tudo em ordem exige muito tempo e dedicação integral. "Está mais do que na hora de reconhecermos esse trabalho e garantirmos mais qualidade de vida para todas as donas de casa", justificou.

Foto: Waldemir Barreto / Agência Senado

O planeta está no limite, por Jeffrey Sachs

Necessidade vs. Ganância

O maior líder moral da Índia, Mahatma Gandhi tem a famosa máxima segundo a qual há o suficiente na Terra para suprir as necessidades de todo mundo, mas não para as ganâncias de todo mundo. Hoje, o insight de Gandhi está sendo posto em teste mais do que nunca.

O mundo está rompendo os limites no uso de recursos. Estamos sentindo diariamente o impacto de enchentes, tempestades e secas – e os resultados aparecem nos preços no mercado. Agora nosso destino depende de se cooperamos ou ficamos vítimas da ganância autodestrutiva.

Os limites da economia global são novos, resultam do tamanho sem precedentes da população mundial e da disseminação sem precedentes do crescimento econômico em quase todo o mundo. Há no momento sete bilhões de pessoas no planeta; há meio século, eram três bilhões. Hoje, a renda média per capita está em torno de 10 mil dólares; no mundo rico, em torno de 40 mil dólares, e no mundo em desenvolvimento, em torno de 4 mil. Isso significa que a economia mundial está agora produzindo em média 70 trilhões de dólares em rendimentos totais por ano, comparados a algo como 10 trilhões, em 1960.

A economia da China está crescendo em torno de 10% ao ano. O crescimento da Índia está próximo do mesmo índice. A África, a região com o crescimento mais lento, está batendo a casa dos 5% no crescimento anual do PIB. Sobretudo os países em desenvolvimento estão crescendo em torno de 7% ao ano, e as economias desenvolvidas em torno de 2%, mantendo o crescimento global em algo como 4,5%.

Ganância ou crescimento

Essas são boas notícias em vários aspectos. O rápido crescimento econômico nos países em desenvolvimento está aliviando a pobreza. Na China, por exemplo, a pobreza extrema diminuiu bem mais da metade da população, e hoje atinge 10% ou menos da população.

Há no entanto um outro lado da história do crescimento global que devemos entender claramente. Com a economia mundial crescendo a 4-5% ao ano, estará num caminho para dobrar de tamanho em menos de vinte anos. Os 70 trilhões de dólares da economia mundial serão 140 trilhões, antes de 2030, e 280 trilhões antes de 2050, em caso de extrapolarmos as taxas de crescimento de hoje.

Nosso planeta não suportará fisicamente esse crescimento econômico exponencial, se deixarmos a ganância levar vantagem. O crescimento da economia mundial já está esmagando a natureza hoje, depredando rapidamente as fontes de combustível fóssil que a natureza levou milhões de anos para criar, enquanto o clima resultante da mudança climática tem gerado instabilidades massivas em termos de regime de chuvas, de temperatura e de tempestades extremas.

Vemos diariamente essas pressões no mercado. O preço do petróleo chegou a mais de 100 dólares o barril, enquanto China, Índia e outros países importadores se juntam aos EUA, num negócio massivo, para comprar combustível, especialmente do Oriente Médio. O preço dos alimentos também está em patamares históricos, contribuindo com a pobreza e a instabilidade política.

Esgotamento ambiental

Por um lado, há mais bocas para alimentar e, em geral, com maior poder aquisitivo. Por outro, ondas de calor, secas, enchentes e outros desastres induzidos pela mudança climática estão destruindo safras e reduzindo os estoques de grãos nos mercados mundiais. Nos últimos meses, várias secas atingiram a produção de grãos de regiões da Rússia e da Ucrânia, e enchentes enormes ocorreram no Brasil e na Austrália; agora, outra seca está ameaçando o cinturão de grãos da China.

Há algo mais do que a visão de que isso é muito perigoso. Em muitas partes populosas do mundo, inclusive em regiões de produção de grãos no nordeste da Índia, da China e no Meio Oeste dos EUA fazendeiros estão cavando cada vez mais fundo para irrigar suas lavouras.

Os grandes aquíferos que forneciam água para irrigação estão sendo esvaziados. Em alguns lugares da Índia, o nível das águas está baixando vários metros anualmente nos últimos anos. Alguns poços estão próximos da exaustão, com uma salinidade tão alta que parece que infiltraram águas oceânicas no aquífero.

Se não mudarmos, uma calamidade é inevitável. E é aqui que entra Gandhi. Se nossas sociedades estão correndo segundo o princípio da ganância, com os ricos fazendo de tudo para ficarem mais ricos, a crescente crise de recursos levará a uma ampla divisão entre ricos e pobres – e muito possivelmente a uma crescente luta por sobrevivência.

Conflito de classes

Os ricos tentarão usar seu poder para dominar mais terra, mais água e mais energia para si mesmos, e muitos vão dispor de meios violentos para fazê-lo, se necessário. Os EUA já seguiram a estratégia de militarização no Oriente Médio, na esperança ingênua de que esse tipo de abordagem pode assegurar fornecimento de energia. Agora, a competição por esses suprimentos está se intensificando com a China, Índia e outros, na corrida pelos mesmos (em vias de esgotamento) recursos.

Um poder análogo de captura de recursos está sendo tentado na África. O aumento dos preços de alimentos está levando a um aumento do preço das terras, enquanto políticos poderosos vendem a investidores estrangeiros vastas fazendas, varrendo do mapa as agriculturas tradicionais e os direitos dos pequenos agricultores. Investidores estrangeiros esperam usar grandes fazendas mecanizadas para produzir para exportação, deixando pouco ou nada para as populações locais.

Em toda parte nos grandes países – EUA, Reino Unido, China, Índia e outros – os ricos têm desfrutado de renda elevada e do aumento de poder político. A economia dos EUA foi sequestrada por bilionários, pela indústria do petróleo e outros setores chave. A mesma tendência ameaça as economias emergentes, onde a riqueza e a corrupção estão em alta.

Se a ganância vencer, a máquina do crescimento econômico depredará os recursos, deixará os pobres de lado e nos conduzirá a uma profunda crise social, política e econômica. A alternativa é um paradigma de cooperação social e política, tanto no interior dos países, como internacionalmente. Haverá recursos suficientes e prosperidade para seguir em frente, se convertermos nossas economias em fontes renováveis de energia, em práticas agrícolas sustentáveis e numa taxação razoável dos ricos. Este é o caminho da prosperidade compartilhada, por meio do avanço tecnológico, da justiça política e da consciência ética.

(*) Jeffrey D. Sachs é professor de Economia e diretor do Instituto Terra da Universidade Columbia. Ele também é conselheiro especial da Secretaria Geral das Nações Unidas para as Metas do Milênio.


Fonte: Carta Maior