quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Gleisi Hoffmann fala de suas propostas em entrevista para ADI


Gleisi falou sobre como pretende atuar no Senado Federal para ajudar no desenvolvimento do Estado

Reportagem: ADI
Foto: Divulgação

Pela primeira vez na história, o Paraná terá a oportunidade de eleger uma representante feminina para o Senado da República. Desde que a advogada Gleisi Hoffmann (PT) lançou seu nome como candidata, ela vem conquistando simpatia e apoio de diversos segmentos da sociedade, tendo chances reais de ocupar uma das duas cadeiras do Senado pelo Estado do Paraná nas eleições de 2010.

Sua experiência profissional está na gestão pública e na vida política. Gleisi já foi secretária de Estado no Mato Grosso do Sul e secretária de Gestão Pública em Londrina no Paraná. Também integrou, em 2002, a equipe de transição de governo do presidente Lula, ao lado da ministra Dilma Rousseff.

Foi a primeira mulher a assumir a Diretoria Financeira da Itaipu Binacional a convite do presidente Lula e da então ministra Dilma. Lá desenvolveu ações como a Casa Abrigo para mulheres vítimas de violência doméstica, o Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente, o Programa Saúde na Fronteira e o combate à exploração sexual infantil.

Nessa entrevista exclusiva aos jornais da ADI, Gleisi Hoffmann fala como pretende atuar no Senado Federal para ajudar no desenvolvimento do Estado. Também dá sua posição sobre assuntos polêmicos, como o aborto e o ECA e fala sobre a participação da mulher na política. Confira.

Tribuna do Interior – Campo Mourão – Gleisi qual a receita para manter a coerência no Senado?
Gleisi - Acredito que o Senado não é lugar de oposição sistemática, mas de mediação e construção coletiva. Devemos trabalhar para unir nossas lideranças, sempre agregando forças e buscando o diálogo.

Diário do Norte – Maringá - Quais as iniciativas que a senhora vai tomar para dar transparência ao seu Gabinete no Senado?
Gleisi - Divulgando tudo o que faço. Seja por meio da imprensa paranaense ou na imprensa nacional, através de boletins, publicações, entrevistas, e tudo que puder fazer para mostrar o que estou efetivamente construindo no Senado. Vou fazer, inclusive, a prestação de contas dos recursos que gasto e que vou aplicar com a minha assessoria e com os gastos cotidianos do meu mandato.

Gazeta do Iguaçu – Foz do Iguaçu – Como já conhece a realidade de Foz, onde atuou na Itaipu Binacional , quais medidas entende como importantes para a região de fronteira?
Gleisi - Em primeiro lugar, precisamos de uma política consistente na área de segurança. Foi muito importante a aprovação do projeto enviado por Lula ao Congresso Nacional, que dá poder de polícia às Forças Armadas, mas temos que avançar ainda mais. Precisamos de uma ação conjunta entre o Exército e a Polícia Federal, unindo força, tecnologia e inteligência para combater o tráfico de drogas.
Outra questão importante é trabalhar pela integração da tríplice fronteira. Para mim é muito claro que o Brasil não vai conseguir avançar de forma isolada, isso precisa ser feito junto com o Paraguai e a Argentina.
Para fortalecer o comércio e a economia, a lei do micro-empreendedor precisa ser aperfeiçoada. Como senadora, quero aprofundar o debate sobre a lei porque tenho certeza que vai ajudar a melhorar a realidade da região. Não podemos considerar criminosos aquelas pessoas mais simples que vendem produtos vindos do Paraguai para sobreviver. Essa não é uma questão de polícia, mas precisa de política pública e amparo social.
A outra atuação que pretendo ter é na defesa e representação dos brasiguaios. Temos que garantir que tenham os direitos preservados. Quero ter um contato mais direto e objetivo com os brasiguaios. São brasileiros que estão no Paraguai e ajudam a construir aquele país, povo trabalhador que merece respeito tanto do Brasil quanto do Paraguai.

Jornal do Oeste – Toledo - A senhora entende ser necessária uma mudança no Estatuto da Criança e do Adolescente ou hoje, da forma como ele está formatado, atende às necessidades da sociedade?
Gleisi - Sempre defendi as causas ligadas às crianças e aos adolescentes e considero o ECA um grande avanço, à medida que coloca o menor como sujeito social de direito. Quanto mais a lei for colocada em prática mais perto se alcançará o cuidado e o respeito para com as nossas crianças e adolescentes visando a efetiva construção de sua cidadania.
Mas, é claro, que ainda há muito que fazer para garantir o direito à proteção. Segundo a OIT (Organização Internacional do Trabalho), cerca de 5 milhões de crianças e adolescentes são explorados pelo trabalho infantil. A violência doméstica e comunitária atinge 4 em cada grupo de 10 crianças, segundo estimativas. As mortes violentas de crianças e jovens aumentaram nos últimos anos, muitos deles vítimas do tráfico de drogas.

O Iguassu – União da Vitória - Além da aposentadoria para as donas de casa, que outras propostas da Gleisi beneficiariam as mulheres?
Gleisi - Acredito que igualdade só se dá com condições de formação e educação. Não podemos concorrer a uma vaga de emprego se não temos formação técnica para tanto. Defendo que seja criado um programa nacional de formação e capacitação para as mulheres com cursos técnicos que dêem condições para que elas se formem e voltem ao mercado de trabalho.

Dilma Rousseff recebe o apoio maciço dos cristãos

Dilma Rousseff recebeu o apoio maciço dos cristãos
Foto: Roberto Stuckert Filho



A candidata à Presidência da República pela coligação Para o Brasil Seguir Mudando, Dilma Rousseff, se reuniu hoje por cerca de duas horas com representantes de 11 entidades religiosas de todo país em Brasília.

Os cristãos declararam apoio maciço à petista nas eleições de domingo. Os líderes religiosos também divulgaram uma carta aberta repudiando “a boataria cruel e mentirosa” que vem sendo disseminada contra Dilma na Internet.

Após o encontro, Dilma concedeu uma entrevista coletiva em que reafirmou seu compromisso com a vida e sua posição contrária ao aborto. A candidata também rejeitou a possibilidade de convocação de um plebiscito no país para decidir sobre a questão. “Não sou a favor de um plebiscito porque ele dividiria a nação entre aqueles que defendem e aqueles que são contra. A legislação existente hoje pacifica todas as posições. Eu sou contra mudar a lei”, enfatizou.

Ela também salientou que nunca fez qualquer referência sobre a vitória nas eleições baseada em pesquisas, lembrando que os jornalistas são testemunhas disso ao longo de sua jornada na campanha. Por isso, ela fez questão de repudiar as informações falsas que estão circulando pela Internet afirmando que ela usou inclusive Deus para dizer que não seria derrotada.

"Eu lamento isso profundamente, porque nunca saíram da minha boca palavras nesse sentido”, argumentou.

Valores pela vida

Durante o encontro, os cristãos deram declarações de apoio à candidata e reafirmaram que confiam na sua posição e na capacidade de Dilma de valorizar a família e os valores pela vida. “Vocês podem ter certeza que nossa relação será pautada pelo diálogo, pela parceria e pela colaboração”, disse Dilma para os cristãos.

Dilma afirmou que precisará do apoio das igrejas principalmente no combate às drogas, em especial ao crack. “Sozinho, o Estado não vai conseguir resolver esse problema das drogas e do crack. Por isso, vai ser fundamental nossa parceria com as igrejas a as casas de reabilitação”, comentou.

O presidente do Conselho Nacional de Pastores do Brasil, bispo Manoel Ferreira, disse que Dilma é “um instrumento de Deus e do presidente Lula” para continuar realizando a mudança que o Brasil precisa.

Fonte: Dilma 13

Lula faz alerta contra boatos

O Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva faz um alerta contra os boatos na campanha de Dilma Roussef.
Assista ao vídeo.


quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Beto Richa barra nova pesquisa Datafolha no Paraná

O candidato do PSDB ao governo do Paraná, Beto Richa, conseguiu ontem à tarde medida liminar na Justiça Eleitoral que resultou na impugnação de uma nova pesquisa Datafolha.
A decisão foi do juiz Nicolau Konkel Júnior, do TRE-PR (Tribunal Regional Eleitoral do Paraná). O instituto vai recorrer da decisão.

O levantamento, contratado pela RPC TV (afiliada da Rede Globo), estava previsto para ser divulgado amanhã, dia 30. As entrevistas de campo foram feitas feitas ontem e continuariam hoje.

É a segunda vez desde a semana passada que Richa barra a divulgação do Datafolha sob a alegação de irregularidades no processo de levantamento da pesquisa.

Na primeira impugnação, o advogado da coligação do tucano -que tem 13 partidos, além do PSDB-, alegou que o registro da pesquisa deixou de informar critérios da amostragem, como sexo, idade, grau de instrução e nível econômico das pessoas que foram entrevistadas. A tese foi acolhida pelo TRE.

Segundo o Datafolha, esse argumento é infundado. A alegação de que não há informação no registro sobre ponderação em relação ao grau de instrução e nível econômico dos entrevistados mostra desconhecimento técnico, pois a ponderação só é necessária em caso de eventuais desvios da amostra.

O candidato tucano ao governo do Paraná também já havia conseguido barrar levantamento previsto para ser divulgado na semana passada dos institutos Vox Populi e Ibope.

São os mesmos institutos de pesquisa cujo resultado, quando Richa liderava as pesquisas, tinham os números divulgados ao público no horário eleitoral do tucano na TV e no rádio.

A última pesquisa Datafolha divulgada, realizada nos dias 13 e 14 de setembro, mostrou que Beto Richa (PSDB) e Osmar Dias (PDT) estavam empatados tecnicamente em primeiro lugar, com 45% e 40%, respectivamente.

Essa pesquisa foi registrado sob o número 30.034/ 2010 no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).
A vantagem ainda era de Richa, mas a diferença entre os candidatos havia diminuído dois pontos percentuais desde o levantamento anterior, realizado nos dias 8 e 9, quando Richa tinha 44%, e Dias, 38%.

Nas duas pesquisas, a margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

Fonte: Folha.com

Ibope confirma: Eleição será definida neste domingo

A última pesquisa realizada pelo Ibope confirma que não deve haver 2o turno para o cargo mais importante do Brasil. A eleição será definida neste domingo. 

A candidata do PT, Dilma Roussef, aparece com 50% das intenções de votos, enquanto, José Serra, do PSDB, tem 27% e Marina Silva, do PV, 13%.

Brancos ou nulos somam 4%. Não souberam ou não responderam, 4%. Os demais candidatos juntos somaram 1% das intenções de voto.

No cálculo de votos válidos, no qual a taxa de votos brancos, nulos e indecisos é excluída, Dilma tem 55% contra 30% de Serra e 14% de Marina.
 
Segundo turno
Em um eventual segundo turno entre Dilma e Serra, a candidata do PT teria 55% contra 32% do tucano. Brancos e nulos somariam 7%. Já em uma disputa de segundo turno envolvendo Dilma e Marina, a petista teria 56% contra 29% da candidata do PV. Brancos e nulos seriam 8%. No cenário entre Serra e Marina, o candidato tucano teria 43% contra 35% de Marina e os votos nulos ou brancos somariam 12%.
 
Rejeição
O Ibope também interrogou os entrevistados sobre a probabilidade de voto no dia 3 de outubro. Os que disseram que não votariam em Dilma somaram 27%. Já os que não votariam em Serra ficaram em 34% e Marina, 28%. Os entrevistados que disseram votar “com certeza” em Dilma totalizaram 48% contra 24% de Serra e 13% de Marina. Os entrevistados que afirmaram que “poderiam” votar em Dilma somaram 19%, Serra 35% e Marina, 45%.

Paraná
Ao governo do Paraná, Osmar Dias e Beto Richa estão empatados com 46%. 




Vox Populi: Dilma tem 49% das intenções e pode vencer no domingo

Vox Populi: Dilma está com 49% e venceria no 1º turno
A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, aparece, pelo terceiro dia consecutivo, com 49% das intenções de voto no tracking Vox Populi/Band/iG publicado nesta terça-feira. José Serra (PSDB), segundo colocado, oscilou um ponto para cima e agora tem 25%.
 Já a presidenciável do PV, Marina Silva, que um dia antes contava com 13%, agora soma 12% - o que interrompe uma sequência de três dias consecutivos de crescimento. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais.

Apoiada pela alta popularidade do presidente Lula na região, Dilma tem o melhor desempenho entre eleitores do Nordeste: 65%. Na região, no entanto, a ex-ministra da Casa Civil já contou com até 73% das preferências. Na mesma região, Serra teria hoje 15% dos votos, de acordo com a projeção, e Marina, 7%.
Dilma ainda lidera em todas as regiões, mas encontra seu pior cenário no Sudeste, onde ela conta com 42% das intenções de voto – contra 27% de Serra e 16% de Marina. Já o candidato tucano tem mais votos no Sul (34%), contra 45% de Dilma no local.

Na pesquisa espontânea, quando os nomes dos candidatos não são apresentados, a petista aparece à frente, com 43% das citações (um ponto a mais que na pesquisa anterior); Serra tem 22% e Marina, 9%.  O tracking Vox/Band/iG conta com 2.000 entrevistas, sendo que um quarto dessa amostra é renovada diariamente.

Fonte: portal iG.
FOTO: Roberto Stuckert Filho

Vamos garantir a vitória no 1º turno, militância!

O Datafolha divulgou na terã-feira (28)  nova pesquisa sobre a qual, as matérias do seu jornal, Folha de S.Paulo, dizem uma coisa e os números dizem outra. Sem contar o histórico do Datafolha. Ele é o mais resistente dentre todos os institutos de pesquisas a aferir crescimento da candidatura Dilma Rousseff (governo-PT-partidos aliados), é sempre o primeiro a ver oscilações e quedas na candidatura dela e subidas de "ondas verdes" nas candidaturas da oposição, de José Serra (PSDB-DEM-PPS) e da senadora Marina Silva (PV-AC).

Assim, a leitura desta pesquisa Datafolha tem que levar em conta que antes da virada de Dilma, ele foi o último instituto a registrar aquela radical mudança no quadro eleitoral. Evidente que há, também, a questão de metodologia adotada. O Datafolha desconhece o voto da área rural (14% dos 135 milhões de eleitores do país) e seu sistema é de pesquisa de fluxo - a de hoje, feita em apenas um dia.

Desta forma, tudo indica que a votação de Dilma é maior como apontam as pesquisas diárias (trackings e outras) que lhe dão entre 11 e 13 pontos à frente e não apenas 2% do total dos votos, como dá o Datafolha hoje. Há, também, a questão do número de eleitores indecisos que cresceu 2% nesta sondagem do Datafolha - portanto, eleitores ainda em disputa pelos candidatos.

Chamam a atenção, ainda, as quedas de 5% da Dilma no eleitorado feminino; de 5% no eleitorado entre dois e cinco salários mínimos; e de 4% na Região Nordeste. São dados a conferir nas próximas pesquisas mas, mesmo considerando estes resultados do Datafolha, podemos afirmar que eles estão dentro da margem de erro da última sondagem do mesmo Instituto - o quadro pode ser, portanto, igual ao da semana passada.

Improvável ida de Marina para o 2º turno

Tudo indica, então, ser improvável que Marina vire as eleições e vá ao 2º turno. O mais certo é que José Serra dispute essa possibilidade, ainda que continue estacionado há um mês nas pesquisas, segundo as do próprio Datafolha. Também o eleitorado de Marina - que pelo Datafolha subiu 5 pontos em um mês - ao constatar que ela não vai ao 2º turno e que este, eventualmente, será com José Serra, pode optar por Dilma (que desde 25 de agosto caiu 3 pontos pelo Datafolha).

Mas notem que as mudanças todas estão de certa forma dentro da margem de erro. Daí a precaução com as pesquisas, sem desconhecer as tendências que são óbvias e exigem uma resposta à altura de nossa campanha. Como sabemos pela experiência, eleição não se define nas pesquisas e sim na campanha e na disputa política.

Daí a importância dos próximos seis dias, da campanha nas ruas e casas onde levamos uma extraordinária vantagem nesta reta final. Nem José Serra e nem Marina têm o volume de campanha que temos. O mesmo vale para o último debate na Rede Globo que pode consolidar nossa vitória no 1º turno.

Militância nas ruas com força total!


Dado essencial, também, é esperar e acompanhar com muita atenção as próximas pesquisas: do Ibope que em sua última sondagem dava Dilma com 9 pontos a frente dos demais candidatos; Sensus que dava 14 pontos; e Vox Populi que dava 17 pontos. É isto e não se deixar levar pelos números do Datafolha, a serem confirmados nas urnas dia 3.

Mesmo porque, até comparada com a Datafolha da semana passada, Dilma pode não ter perdido votos e sim oscilado dentro da margem de erro. Sua tendência pode ser de vitória no 1º turno, dado a nossa força representada pela ampla aliança que fizemos, os fortes palanques nacionais e estaduais que temos. Afinal, vejam, nossos candidatos a governador estão na frente em 21 Estados. E é a mesma situação de nossos candidatos ao Senado - podemos eleger até 3/5 dos atuais candidatos.

Sem contar a força de que dispomos vinda das nossas chapa de candidatos a Câmara Federal. E, óbvio, da principal alavanca de que sempre dispomos em campanhas: a nossa militância - nossa e de todos partidos da coalizão que agora são convocados para uma arrancada final, para garantir a vitória no 1º turno contra toda esta campanha midiática e toda baixaria tucana.

Vamos para as ruas! Vamos garantir a confirmação no 1º turno do extraordinário apoio da maioria de nosso povo ao presidente Lula e à sua administração, para assegurar a continuidade do governo com o aperfeiçoamento trazido pelas mudanças.


José Serra não vence em nenhuma região

Image
José Serra
O Datafolha de terça-feira leva a algumas conclusões elementares, dentre as quais, a principal é que o candidato da oposição a presidente da República, José Serra (PSDB-DEM-PPS) não vence em nenhuma região do país e permanece estacionado desde a última pesquisa.

Outro dado que salta à vista é que em um eventual 2º turno, Dilma o venceria fácil, com 52% contra 39% do tucano. Por este Datafolha, Dilma tem 51% dos votos válidos; José Serra apenas oscilou 1 ponto - de 31% para 32%; e a candidata do PV, Marina Silva está longe de ambos e de um 2º turno, tendo oscilado de 14% para 16%.

Nas regiões Centro-Oeste/Norte, Dilma lidera com folgados 44%, contra 31% de José Serra e 17% de Marina. No Sul, Dilma aparece em 1º lugar, com 39% dos votos, fora da margem de erro técnico de empate com José Serra, que tem 35%. Marina tem aí 10%. Na região Sudeste, Dilma está disparado na frente de Serra: 41 x 31. Aí Marina amarga 10%. Dilma está vencendo simplesmente nos quatro Estados que compõem a região: São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Desta forma, Dilma vence em todas as regiões do país. No Nordeste tem 59% contra 19% de José Serra e 11% de Marina, o que representa nada mais, nada menos que 20 milhões de votos de frente. Resumo da história: Dilma vence em todas as regiões e faixas; Serra é o mais rejeitado e está estacionado; Marina é a 3ª, longe dos dois e de um 2º turno e, também, está estacionada.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Alvaro votará em Osmar Dias para governador do Paraná

[Foto:  senador Alvaro Dias ]
O senador Alvaro Dias (PSDB-PR) ocupou a tribuna na tarde desta terça-feira (28) para esclarecer por que declarou que votará em seu irmão, Osmar Dias (PDT), para o governo do Paraná, embora seu partido tenha candidato próprio, Beto Richa.

De acordo com ele, que declarou viver uma situação inédita em sua trajetória política, a ideia inicial era adotar uma postura neutra, que representasse "respeito ao partido e respeito à família". Porém, na última semana, segundo Alvaro Dias, o candidato do PSDB passou a atacar o adversário de forma "fortuita, desnecessária, improcedente e desonesta".

- Eu não poderia ouvir agressões despropositadas assacadas contra um irmão sem defendê-lo. A indagação que faço é: 'Teria eu autoridade moral e política para defender quem quer que seja se não defendo o próprio irmão?' É evidente que não - disse.

Ele ressaltou que anunciou, sim, "o voto do ser humano, não do político que milita partidariamente e que tem obrigações partidárias". Porém, ressalvou que sabe que a opção que faz é "a melhor para o Paraná".

- Não tenho nenhuma dúvida de que a escolha é a mais adequada por conhecer os dois candidatos, por conhecer a proposta de cada um, por conhecer o modelo de gestão que cada um pode oferecer ao Estado e, sobretudo, por conhecer o modelo e o perfil de caráter e personalidade que cada um pode ostentar diante do povo do Paraná. Não tenho nenhuma dúvida de que essa é a melhor opção - disse. 

Fonte: Agência Senado

Rede conhecerá, ainda este ano, o número de adolescentes em situação de risco



Integrantes da Rede Proteger durante reunião na última sexta-feira pela manhã, no Refúgio Biológico Bela Vista.

A Rede de Proteção Integral à Criança e ao Adolescente (Rede Proteger) pretende concluir até o final de dezembro um levantamento sobre o número de meninos e meninas em situação de risco em Foz do Iguaçu.
   
Uma das 30 instituições da Rede, que prefere não ser identificada para evitar problemas na pesquisa, está fazendo um mapeamento em todos os bairros de Foz. O diagnóstico deverá servir como parâmetro para novas ações de combate à exploração sexual infanto-juvenil.
  
O último levantamento sobre crianças e adolescentes em situação de risco em Foz havia sido feito em 2002 pela Organização Internacional do Trabalho (OIT). Na época, o relatório apontou pouco mais de 3 mil crianças e adolescentes vulneráveis na faixa entre Brasil, Paraguai e Argentina. Os dados serão cruzados com outros levantamentos, que estão sendo feitos em paralelo à pesquisa, sobre o perfil de jovens e adolescentes vítimas de violência.

        
Para Gladys Mirtha Baez, coordenadora do Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente (PPCA), da Itaipu, com estes novos diagnósticos será possível também mensurar os avanços no trabalho de prevenção e proteção de meninos e meninas feito na Tríplice Fronteira desde 2003.
   
Caminhoneiros e bordéis

  
De acordo com alguns resultados preliminares da pesquisa, a região de Três Lagoas apresenta a maior incidência de adolescentes em situação de risco. A maior vulnerabilidade seria reflexo direto da grande quantidade de casas de prostituição e bordeis no bairro e da grande concentração de caminhoneiros nas proximidades.
    
"Neste primeiro momento estamos apenas identificando os locais e o número de crianças vivendo da prostituição ou sendo exploradas", explicou Marco Antônio, coordenador da pesquisa. Todo o trabalho é feito com muito cuidado para evitar o afastamento dos menores e o esvaziamento da pesquisas. Em apenas uma noite – próximo a uma casa de shows, na região central de Foz do Iguaçu – o pesquisadores abordaram 20 adolescentes que estariam se prostituindo.


Fonte: JIE

Último comício reuniu mais de 10 mil pessoas em São Paulo

Sob chuva em SP, militantes caminham rumo à vitória

Mesmo embaixo de chuva, militanres comparecem no úlitmo comício antes das eleições
FOTO: Roberto Stuckert Filho

Choveu muito, do início ao fim, no comício que reuniu mais de 10 mil pessoas no Sambódromo, na cidade de São Paulo. Todos demonstrar a confiança em Dilma Rousseff para ganhar a disputa à Presidência da República. Tradicional local da folia de carnaval, o Sambódromo abrigou uma comemoração democrática, que certamente vai impulsionar de vez a candidatura de Aloizio Mercadante ao governo do Estado.

Na arquibancada, uma bandeira vermelha enorme cobriu milhares de militantes para estampar um agradecimento especial. “Valeu Companheiro Lula”, diziam as letras garrafais. Humilde, Lula respondeu ao agrado. “Não são vocês que têm que me agradecer. Sou eu que, quando deixar o governo, vou ter que agradecer a força e a ajuda que o povo brasileiro me deu nesses oito anos de governo”, afirmou.

Assim como no começo da campanha no comício da Cinelândia, no Rio de Janeiro, Dilma deixou o palco encharcada pela chuva. “Nós estamos aqui debaixo dessa chuva, a seis dias da eleição, e temos que lembrar desse encontro que temos com a democracia a seis dias. Nós vamos mais uma vez mostrar que esse país democrático sabe fazer suas opções. Eu espero que no próximo domingo o povo de São Paulo escolha a continuidade da mudança e do avanço elegendo a primeira mulher do Brasil”, disse, abrindo seu discurso.

Dilma assumiu com os eleitores o compromisso de acabar com a miséria no país, de dar educação e saúde de qualidade para o povo brasileiro, de evitar que as crianças e jovens sejam vítimas do crack e de transformar o país num país de classe média pujante.

Ao final, a petista pediu duas coisas aos brasileiros: “Primeiro eu quero pedir serenidade, porque temos propostas, estamos no caminho certo. Serenidade porque ninguém pode tirar a gente do rumo e do prumo. E quero pedir determinação para ir às ruas e buscar até o último voto. Determinação para ter a vitória no dia 3 de outubro. O amor pelo povo brasileiro vai fazer dessa vitoria uma vitoria da paz e da alegria”, afirmou.

Lula

Animado, o presidente pediu votos para Dilma e para Aloizio Mercadante (PT). Segundo ele, não há mais porque os eleitores de São Paulo continuarem escolhendo candidatos do PSDB, que não melhorou em nada a educação nos últimos 16 anos em que governou o estado. “É preciso acabar com essa história de tucanos governarem São Paulo. Está na hora de colocar uma estrela para governar”, disse em referência ao senador petista.
Ele afirmou que votar em Dilma não é apenas eleger a primeira mulher presidenta do Brasil, mas também honrar a memória daqueles que lutaram ao lado dela pela democracia no país.
“É eleger uma companheira que sabe os dissabores de ter lutado contra o regime autoritário para poder garantir o dia de hoje. Essa moça aos 20 anos de idade foi para luta para conquistar a democracia nos anos 70. E a luta daqueles que morreram lutando por democracia vai ser consagrada no dia 3 com a eleição de Dilma para presidente da República”, salientou.

Fonte: Site da Dilma

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Estado deve investir para que crianças e jovens se tornem atletas de ponta, afirma Lula


Lula e o ministro Orlando Silva no Ginásio Chico Neto, onde a seleção feminina de vôlei vai enfrentar 
os Estados Unidos no fim de semana. Foto Ricardo Stuckert/PR

É preciso que o Estado invista nas crianças e jovens antes mesmo de se tornarem atletas, dando condições para que eles se desenvolvam e se interessem pela prática esportiva, e as Olimpíadas 2016 serão um momento de chamar a atenção do país para a capacidade transformadora do esporte. Essa afirmação foi feita pelo presidente Lula, na última quinta-feira (23/9), em Maringá (PR), durante cerimônia de inauguração do Ginásio Chico Neto.

“Queremos que Maringá seja uma espécie de elo motivador para que outras cidades criem as suas praças olímpicas e para que cada cidade do Paraná e do Brasil levem muito a sério que as Olimpíadas são um marco que pode dividir a história do Brasil. Nós jamais seremos uma grande potência esportiva se a gente não tratar o investimento em esporte como uma decisão do Estado brasileiro, como uma decisão do governo. Nós precisamos cuidar do atleta antes de ele ser atleta famoso, e somente o Estado pode fazer isso. Por isso criamos o Bolsa-Atleta”, disse.

Meninos do Lago
Meninos treinam diariamente no Canal de Itaipu. Foto: Alexandre Marchetti

A Itaipu Binacional segue as orientações do presidente Lula. Por intermédio do Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente (PPCA), a empresa mantém o Projeto Meninos do Lago, em parceria com a Federação Paranaense de Canoagem. O projeto prepara 80 meninos carentes de Foz do Iguaçu para disputar as Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. Eles treinam diariamente no Canal de Itaipu.


Segundo Gladis Mirtha Baez, coordenadora do PPCA, a empresa apoia o projeto não apenas pela questão esportiva, mas por todo o trabalho social incluído nos treinos e nas próprias competições. Durante os treinamentos os adolescentes têm, inclusive, aulas sobre educação ambiental. “É uma forma de ocupar o tempo livre destes garotos de baixa renda. Uma das exigências é estudar em escolas públicas”, destaca.
  
Outra vantagem é oferecer aos jovens a oportunidade de uma carreira esportiva. “Estamos dando o suporte para estes adolescentes se tornarem grandes vencedores”, afirma Mirtha.
 

De acordo com o superintendente da Confederação Brasileira de Canoagem, Argos Rodrigues, sem a parceria de Itaipu seria impossível manter o projeto. “Até poucos dias, os meninos treinavam em barcos velhos e pesados, agora, terão as melhores embarcações do mercado nacional”, salienta.

Com Blog do Planalto

A Midia comercial em guerra contra Lula e Dilma, por Leonardo Boff

Por Leonardo Boff*

Sou profundamente a favor da liberdade de expressão em nome da qual fui punido com o “silêncio obsequioso”pelas autoridades do Vaticano. Sob risco de ser preso e torturado, ajudei a editora Vozes a publicar corajosamente o “Brasil Nunca Mais” onde se denunciavam as torturas, usando exclusivamente fontes militares, o que acelerou a queda do regime autoritário.

Esta história de vida, me avalisa fazer as críticas que ora faço ao atual enfrentamento entre o Presidente Lula e a midia comercial que reclama ser tolhida em sua liberdade. O que está ocorrendo já não é um enfrentamento de idéias e de interpretações e o uso legítimo da liberdade da imprensa. Está havendo um abuso da liberdade de imprensa que, na previsão de uma derrota eleitoral, decidiu mover uma guerra acirrada contra o Presidente Lula e a candidata Dilma Rousseff. Nessa guerra vale tudo: o factóide, a ocultação de fatos, a distorção e a mentira direta.

Precisamos dar o nome a esta mídia comercial. São famílias que, quando vêem seus interesses comerciais e ideológicos contrariados, se comportam como “famiglia” mafiosa. São donos privados que pretendem falar para todo Brasil e manter sob tutela a assim chamada opinião pública. São os donos do Estado de São Paulo, da Folha de São Paulo, de O Globo, da revista  Veja na qual se instalou a razão cínica e o que há de mais falso e xulo da imprensa brasileira. Estes estão a serviço de um bloco histórico, assentado sobre o capital que sempre explorou o povo e que não aceita um Presidente que vem deste povo. Mais que informar e fornecer material para a discusão pública, pois essa é a missão da imprensa, esta mídia empresarial se comporta como um feroz partido de oposição.

Na sua fúria, quais desesperados e inapelavelmente derrotados, seus donos, editorialistas e analistas não têm o mínimo  respeito devido  à mais alta autoridade do pais, ao Presidente Lula. Nele vêem apenas um peão a ser tratado com o chicote da palavra que humilha.

Mas há um fato que eles não conseguem digerir em seu estômago elitista. Custa-lhes aceitar que um operário, nordestino, sobrevivente da grande tribulação dos filhos da pobreza, chegasse a ser Presidente. Este lugar, a Presidência, assim pensam, cabe a eles, os ilustrados, os articulados com o mundo, embora não consigam se livrar do complexo de vira-latas, pois se sentem meramente menores e associados ao grande jogo mundial. Para eles, o lugar do peão é na fábrica produzindo.

Como o mostrou o grande historiador José Honório Rodrigues (Conciliação e Reforma) “a maioria dominante, conservadora ou liberal, foi sempre alienada, antiprogresssita, antinacional e nãocontemporânea. A liderança nunca se reconciliou com o povo. Nunca viu nele uma criatura de Deus, nunca o reconheceu, pois gostaria que ele fosse o que não é. Nunca viu suas virtudes nem admirou seus serviços ao país, chamou-o de tudo,  Jeca Tatu, negou seus direitos, arrasou sua vida e logo que o viu crescer ela lhe negou, pouco a pouco, sua aprovação, conspirou para colocá-lo de novo na periferia, no lugar que contiua achando que lhe pertence (p.16)”.

Pois esse é o sentido da guerra que movem contra Lula. É uma guerra contra os pobres que estão se libertando. Eles não temem o pobre submisso. Eles tem pavor do pobre que pensa, que fala, que progride e que faz uma trajetória ascedente como Lula. Trata-se, como se depreende, de uma questão de classe. Os de baixo devem ficar em baixo. Ocorre que alguém de baixo chegou lá em cima. Tornou-se o Presidene de todos os brasileiros.  Isso para eles é simplesmente intolerável.

Os donos e seus aliados ideológicos perderam o pulso da história. Não se deram conta de que o Brasil mudou. Surgiram redes de movimentos sociais organizados de onde vem Lula e tantas outras lideranças. Não há mais lugar para coroneis e de “fazedores de cabeça” do povo. Quando Lula afirmou que “a opinião pública somos nós”, frase tão distorcida por essa midia raivosa, quis enfatizar que o povo organizado e consciente arrebatou a pretensão da midia comercial de ser a formadora e a porta-voz exclusiva da opinião pública. Ela tem que renunciar à ditadura da palavra escrita, falada e televisionada e disputar com outras fontes de informação e de opinião.

O povo cansado de ser governado pelas classes dominantes resolveu votar em si mesmo. Votou em Lula como o seu representante. Uma vez no Governo, operou uma revolução conceptual, inaceitável para elas. O Estado não se fez inimigo do povo, mas o indutor de mudanças profundas que beneficiaram mais de 30 milhões de brasileiros. De miseráveis se fizeram pobres laboriosos, de pobres laboriosos se fizeram classe média baixa e de classe média baixa de fizeram classe média. Começaram a comer, a ter luz em casa, a poder mandar seus filhos para a escola, a ganhar mais salário, em fim, a melhorar de vida.

Outro conceito innovador foi o desenvolvimento com inclusão soicial e distribuição de renda. Antes havia apenas desenvolvimento/crescimento que beneficiava aos já beneficiados à custa das massas destituidas e com salários de fome. Agora ocorreu visível mobilização de classes, gerando satisfação das grandes maiorias e a esperança que tudo ainda pode ficar melhor. Concedemos que no Governo atual há um déficit de consciência e de práticas ecológicas. Mas importa reconhecer que Lula foi fiel à sua promessa de fazer amplas políticas públicas na direção dos mais marginalizados.

O que a grande maioria almeja é manter a continuidade deste processo de melhora e de mudança. Ora, esta continuidade é perigosa para a mídia comercial que assiste, assustada, o fortalecimento da soberania popular que se torna crítica, não mais manipulável e com vontade de ser ator dessa nova história democrática do Brasil. Vai  ser uma democracia cada vez mais participativa e não apenas delegatícia. Esta abria amplo espaço à corrupção das elites e dava preponderância aos interesses das classes opulentas e ao seu braço ideológico que é a mídia comercial. A democracia participativa escuta os movimentos sociais, faz do Movimento dos Sem Terra (MST), odiado especialmente pela VEJA faz questão de não ver, protagonista de mudanças sociais não somente com referência à terra mas também ao modelo econômico e às formas cooperativas de produção.

O que está em jogo neste enfrentamento entre a midia comercial e Lula/Dilma é a questão: que Brasil queremos? Aquele injusto, neocoloncial, neoglobalizado e no fundo, retrógrado e velhista ou o Brasil novo com sujeitos históricos novos, antes sempre mantidos à margem e agora despontando com energias novas para construir um Brasil que ainda nunca tínhamos visto antes.

Esse Brasil é combatido na pessoa do Presidente Lula e da candidata Dilma. Mas estes representam o que deve ser. E o que deve ser tem força. Irão triunfar a despeito das má vontade deste setor endurecido da midia comercial e empresarial. A vitória de Dilma dará solidez a este caminho novo ansiado e construido com suor e sangue por tantas gerações de brasileiros.

*teólogo, filósofo, escritor e representante da Iniciativa Internacional da Carta da Terra.

Confira as posições de Dilma durante debate da Record

No úlitmo domingo, 26, a Rede Record promoveu, no estúdio da emissora no Rio de Janeiro, um debate entre os candidatos à Presidência da República: Dilma Roussef, José Serra, Marina Silva e Plínio de Arruda Sampaio. O debate foi mediado por Celso Freitas com a participação das jornalistas Ana Paula Padrão, Cristina Lemos e Adriana Araújo.

Confira as opiniões de Dilma sobre Emprego, Lula x FHC, Moradias Populares, Salário Mínimo, Analfabetismo, Imprensa e Fontes de Energias.

Emprego
De fato, até agosto de 2010, geramos 14,5 milhões de empregos com carteira assinada. Uma das ações responsáveis por ter tirado 28 milhões de pessoas da pobreza e elevado 36 milhões à classe média.

Lula x FHC
Tenho atitude diferente do candidato José Serra em relação aos governos que participamos. Ele esconde, a ligação com Fernando Henrique Cardoso, liderança do partido dele e a qual representa a experiência de governo.
Tenho muito orgulho de ter participado do Governo Lula. Reivindico como uma grande realização na minha vida. Acho estranho Serra usar a imagem de Lula em seu programa eleitoral à noite e, no dia seguinte, tecer sérias críticas a este governo.

Moradias populares
Quando elaboramos o "Minha Casa Minha Vida"  tivemos o desafio estipular a construção de 1 milhão de casas. Hoje temos 687 mil projetos assinados. Nós iremos construir 1 milhão de casas até o final do ano. Fruto de grande esforço de empresários e municipios.
O dinheiro do programa vai direto à quem precisa de casas e apartamentos. Não desvia pelo caminho.
Sabemos que é possível fazer mais 2 milhões de casas. O que nos move é o sonho da casa própria e a geração de emprego que este programa consegue realizar pelo Brasil todo.

Imprensa
Considero que qualquer posiciamento, todo veículo tem direito de falar sobre a minha candidatura. E eu tenho direito de dizer quando devo. A democracia está longe de ser extinta.

Salário Mínimo
Entre 2011 e 2014 o salário mínimo estará bem acima dos R$ 600 prometidos pelo candidto Serra. É possível hoje ter uma política sistemática: de longo prazo o que faz com que o salário incorpore inflação e ganho real.

Analfabetismo
Temos que ter um compromisso em acabar com o analfabetismo. A maioria dos analfabetos tem mais de 50 anos. Já fizemos um pacto com os governadores do Norte e Nordeste onde estão mais concentrados os analfabetos. Precisamos dos governadores para erradicar o analfabetismo

Fonte Energia
Precisamos que o Brasil mantenha sua matriz energética, baseada em energia elétrica, biomassa e gás natural. Além disso, estamos entrando na energia eolica.

Nas considerações finais, Dilma afirmou representar a transformação do Brasil. "Nesses oito anos, o Brasil mudou. O país voltou a crescer realmente. Esse é o Brasil que conquistamos e você percebeu a mudança. Nós voltamos a ser uma país que cresce e distribui renda. Se volta para os 190 milhões de brasileiros e não exclui ninguém. Um processo de inclusão e de desenvolvimento".

Assista trechos do debate

sábado, 25 de setembro de 2010

Dilma pode vencer no primeiro turno, diz Ibope

O Ibope divulgou mais uma pesquisa encomendada pela TV Globo e pelo jornal O Estado de São Paulo sobre a disputa presidencial. Se a eleição fosse nesta sexta-feira, a candidata Dilma Rousseff, do PT, venceria no primeiro turno.

Segundo o Instituto, porém, a vantagem de Dilma sobre os demais candidatos caiu de 14 para 9 pontos.
A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Dilma Rousseff tinha 51%, manteve o índice nas duas pesquisas seguintes e agora tem 50%. Com a margem de erro, tem de 48% e 52%.

José Serra tinha 27%, manteve o índice, foi a 25% e agora tem 28%. Com a margem de erro tem de 26% a 30%.

Marina Silva do PV tinha 7%, depois, 8%, 11% e agora tem 12%. Com a margem de erro, tem de 10% a 14%.

Os demais candidatos não pontuaram individualmente. Mas juntos somaram 1% do total.
Brancos e nulos foram 5%. Indecisos, também 5%.

O Ibope também simulou um segundo turno entre Dilma Rousseff e José Serra, do PSDB.
Dilma tinha 56%, depois 55%, 56% novamente e agora tem 54%. Com a margem de erro, tem de 52% a 56%.

Serra tinha 32%, depois 33%, 31% e agora tem 32%. Com a margem de erro, tem de 30% a 34%.
Brancos e nulos somaram 7%. Indecisos, também 7%.

Na avaliação do governo Lula 80% o consideraram ótimo ou bom. Regular, 15%. Ruim ou péssimo, 4%. 1% não soube ou não respondeu.

O Ibope fez 3.010 entrevistas, em 202 municípios, do dia 21 ao dia 23 de setembro.

Fonte: G1

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Internet é usada para difundir mentiras contra Dilma

Há nove dias das eleições e da possível vitória de Dilma no primeiro turno, inúmeras mentiras em relação a candidata têm sido inventadas e espalhadas na internet. A baixaria mais recente diz respeito a um e-mail que atribui a ela uma falsa declaração. Segundo o e-mail, Dilma teria dito que “nesta eleição, nem mesmo Cristo me tira essa vitória; as pesquisas comprovam o que eu estou dizendo, vou ganhar no primeiro turno”.

Dilma jamais disse isso. E nunca reconheceu uma vitória antecipadamente. Ao contrário, ela tem dito que pesquisa não ganha eleição, que eleição se ganha na urna. No mês de julho, em Curitiba, Dilma deu a seguinte declaração: “Ninguém pode subir no salto alto e sair por aí achando que já ganhou. Até o dia 3 de outubro, muita água vai rolar debaixo da ponte”.

No dia 21 de agosto, em Mauá (SP), Dilma novamente falou: “Eleição a gente não ganha com pesquisa. Eleição a gente ganha respeitando o voto do povo brasileiro. Peço para vocês muita atenção, muito empenho e muita garra, porque de hoje até o dia 3 nós vamos disputar cada voto.”

Outro tipo de e-mail baixaria é aquele que procura fazer campanha negativa contra a Dilma, espalhando mentiras para disseminar o medo entre a população. Como dizer, por exemplo, que o PT é contra a liberdade de culto e a liberdade de imprensa.
Já vimos este filme em outras eleições e, como bem definiu o presidente Lula em 2002, naquele ano “a esperança venceu o medo”. E vai ser assim novamente agora, com a eleição de Dilma presidente.

Em todos os eventos de que tem participado, Dilma demonstra coerência e valores como responsabilidade, compromisso, e principalmente, respeito ao eleitor e aos adversários.

É isso o que tem norteado a campanha de nossa candidata. É inadmissível que queiram vencer as eleições com base em calúnias e difamações. Não se deixe enganar.

Fonte: Assessoria

Dilma tem 51% das intenções de votos

ImageDivulgada um dia após a do Datafolha que apresentou pequena oscilação de dois pontos (de 51% para 49%) de intenção de voto da presidenciável Dilma Rousseff (governo-PT-partidos aliados), a pesquisa Vox Populi mantém nossa candidata no patamar de 51% de intenção de voto do eleitorado brasileiro, com vitória assegurada no 1º turno - e no 2º se houver, confirma a sondagem.

Analisadas as duas pesquisas, dá para perceber nitidamente que as diferenças de percentuais entre as diversas sondagens eleitorais (mínimas, agora, mas já foram grandes) explicam-se, em parte pela metodologia de cada instituto.

O Datafolha, por exemplo, faz suas pesquisas em pontos de fluxo - entrevistas nas ruas nos pontos de grande concentração de pessoas - e os demais em domicílios. O método do Datafolha deixa assim, de fora, um grande contingente do eleitorado nacional.

Não capta, por exemplo, a intenção de voto dos eleitores da área rural, que representam 14% do eleitorado do país. Além disso, por este método o Datafolha, ao invés de entrevistar um número de eleitores proporcional ao colégio eleitoral de cada Estado, mistura sem dinstinguir grandes e pequenos colégios eleitorais o que, evidentemente, se reflete nos percentuais finais.

Daí a importância do IBOPE vai ser divulgado nesta sexta-feira (24) no Jornal Nacional, nos portais www.estadao.com.br  e  www.g1.com.br e publicada de forma detalhada pelo Estadão de amanhã. Tudo indica que ele vai confirmar esta pesquisa de hoje do Instituto Vox Populi: a estabilidade da candidatura Dilma e a consolidação de sua vitória no 1º turno.

Fonte: Blog do Zé

Comício em Curitiba reúne Lula, Dilma, Osmar e Gleisi


O comício realizado na última quarta-feira,22, em Curitiba reuniu o Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, a candidata ao maior cargo do Brasil, Dilma Roussef; Omar Dias candidato a Chefe do Executivo Paranaense e Gleisi Hoffmann, que disputa uma das duas vagas ao Senado, pelo Paraná.

Assista parte dos depoimentos.


Foto: Elias Dias

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Curso aplicado no Brasil será levado a índios na Argentina

Os mais de 7,6 mil índios que vivem nas 99 comunidades indígenas na Província de Misiones, na Argentina, participam, a partir da próxima semana, de oficinas e debates sobre drogadição – termo genérico usado para designar qualquer modalidade de uso bioquímico em humanos. As apresentações vão acontecer na cidade de Posadas, no país vizinho.
  
A proposta é reduzir o consumo de álcool, tabaco, cocaína, crack e maconha entre os índios. Atualmente, pelo menos 70% desta população é usuária de algum tipo de droga. O projeto é resultado da “Capacitação em Prevenção a Drogadição”, oferecida pelo Grupo de Trabalho Itaipu-Saúde (GT-Itaipu Saúde).


Adrian Saldias, do Ministério da Saúde da Argentina, durante curso de drogadição.
        
De acordo com Adrian Saldias, coordenador de saúde indígena do Ministério da Saúde da Argentina, a capacitação foi destinada aos profissionais das unidades de saúde e organizações não-governamentais do Brasil, Paraguai e da Argentina. Dividido em cinco módulos, com aulas uma vez por mês, o treinamento foi concluído nesta quarta-feira (22).
    
Neste período, médicos, psicólogos e enfermeiros dos três países estudaram a história de cada tipo de entorpecente, riscos, efeitos nocivos a corpo e mente, números do tráfico, métodos de prevenção e tratamento.
       
Modelo 'importado'

  

Os psicólogos argentinos Martim Barreto e Gerônimo Pretto usarão as experiências brasileiras na Argentina.
   
Os psicólogos argentinos Gerônimo Pretto e Martim Barreto usarão as experiências brasileiras no país vizinho. Eles repassarão os conhecimentos debatidos no curso aos 20 funcionários da unidade de atendimento aos usuários em Posadas, capital da Província de Misiones.

  
Outro exemplo brasileiro a ser utilizado pelos psicólogos é a implantação de um sistema único de informações entre os hospitais psiquiátricos e as casas de recuperação. “Na Argentina não há políticas de saúde mental. Então, vamos replicar o modelo brasileiro na nossa região”, disse Gerônimo.

Fonte: JIE

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

GT-Itaipu Saúde prepara agentes para combater a dengue

Com a proximidade do verão, época mais propícia a prolifereção do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, a preocupação com a doença aumenta.

Para que os agentes de endemias possam cuidar melhor das pessoas doentes e evitar a dengue hemorrágica, o Grupo de Trabalho Itaipu-Saúde (GT-Itaipu Saúde) promove, desta quarta até sexta-feira, no Centro de Treinamento, a segunda etapa do Curso Internacional sobre Epidemiologia e Controle da Dengue para técnicos da Tríplice Fronteira.

As atividades serão ministradas por profissionais do Ministério da Saúde do Brasil. Na primeira fase, realizada em agosto, técnicos do Brasil, Paraguai e Argentina estudaram as melhores formas de prevenir a proliferação do mosquito e diagnosticar as fases da doença com base no Manual “Diretrizes Nacionais de Epidemias de Dengue”, elaborado pelo Ministério da Saúde do Brasil.

Dentro do Estado

Boletim divulgado pela Secretária Estadual da Saúde mostra que até a primeira quinzena de setembro, foram confirmados no Paraná 26.987 casos de dengue, dos quais 26.141 autóctones e 846 importados.

Os municípios com maior quantidade de autóctones foram Foz do Iguaçu (4.547), Maringá (3.636) e Londrina (1.785).

Dos 26.987 casos confirmados, foram notificados 56 de febre hemorrágica e 94 com complicação. Dos 150 casos graves, oito pessoas morreram e 142 foram curadas.

Fonte: JIE

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Lula e Dilma participam de comício nesta quarta-feira em Curitiba

Comício em Foz do Iguaçu reuniu mais de 15 mil pessoas no início de setembro

O Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva e a candidata à presidência Dilma Roussef participam de um comício nesta quarta-feira (22), bairro Sítio Cercado, em Curitiba.

Estarão presentens também o candidato ao Governo do Paraná, Osmar Dias e o vice Rodrigo Rocha Loures. Ainda, Gleisi Hoffmann e Roberto Requião e, os candidatos a deputados estadual e federal pela coligação: A União Faz Um Novo Amanhã PDT - PMDB - PT - PSC-PR - PC do B.

Vox Populi aponta Dilma com vantagem de 30 pontos

A menos de duas semanas das eleições, a candidata à Presidência, Dilma Rousseff (PT), abriu 30 pontos de diferença em relação a José Serra (PSDB) no tracking Vox Populi/Band/iG.

A ex-ministra da Casa Civil segue com 53% das intenções de voto, de acordo com o levantamento divulgado na segunda-feira. Já o tucano soma 23%, um ponto a menos que na medição anterior. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais.

O número de eleitores que ainda se dizem indecisos ou não responderam em quem pretendem votar é de 10%. Brancos e nulos seguem com 4%. Outros candidatos, juntos, somam 1% das intenções de voto.

Na pesquisa espontânea, quando os nomes dos candidatos não são apresentados ao eleitor, Dilma é também a candidata mais lembrada: 45%, contra 19% de José Serra e 7% de Marina. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva é ainda lembrado por 2% dos eleitores.

A cada dia, o Instituto Vox Populi realiza 500 novas entrevistas presenciais em todas as regiões do País, numa amostra consolidada com 2.000 pessoas. O levantamento foi registrado junto ao TSE sob o nº 27.428/10.

Fonte: portal iG.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Zé Dirceu se compromete defender Foz em Brasília

Após ouvir reivindicações de empresários brasileiros e paraguaios, o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu se comprometeu a defender em Brasília, as causas de Foz do Iguaçu e da Fronteira. “Vou monitorar e acompanhar todas as solicitações feitas pelos empresários”, disse. A reunião ocorreu na última quinta-feira (16), em Foz.

Ao lado do filho Zeca Dirceu, candidato à Deputado Federal pelo PT e, de Joel de Lima, coordenador da Campanha de Dilma Roussef e Gleisi Hoffmann, na região, Zé Dirceu afirmou: “Serei o avalista de Foz do Iguaçu”.

Entre os pedidos feitos pelos empresários: criação de um comitê executivo para integração das fronteiras; elaboração de leis comuns entre Brasil, Paraguai e Argentina; implantação de hidrovias e aumento do valor repassado ao Sistema Único de Saúde (SUS). "Esta região exige uma atenção e um olhar diferencial", completou.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

“Faz de conta que eu não vim”, diz Serra ao ameaçar deixar entrevista de TV

Irritado, o candidato à Presidência, José Serra (PSDB), se levantou na intenção de deixar o programa Jogo de Poder, da CNT. O político ficou contrariado com as perguntas da jornalista Márcia Peltier, que apresenta o programa.

Márcia questionava Serra sobre a quebra de sigilos de tucanos e pesquisas. Segundo a jornalista, a manobra teria acontecido em 2009, antes do início das candidaturas. Nesse momento, Serra subiu o tom de voz, disse que estava perdendo tempo com a entrevista e que Márcia deveria fazer a pergunta à Dilma Rousseff, candidata do PT à Presidência.

Candidato disse que estava em “montagem”
“Agora nós vamos falar sobre programas”. Neste momento, Serra se levantou e ameaçou sair do estúdio. “Eu não vou dar essa entrevista, você me desculpa”.

A apresentadora insistiu, mas Serra continuou irritado.“Faz de conta que eu não vim”. Quando a apresentadora perguntou o porquê, o político respondeu que o programa “não é um troço sério” e pediu para desligar as câmeras. “Apague a TV pra gente conversar (...) “porque isso aqui está parecendo montado”. “Montado para quem? Aqui não tem isso”, respondeu a apresentadora.

Serra só voltou ao estúdio e terminou a gravação depois de conversar reservadamente com a jornalista e o apresentador Alon Feuerwerker. Quando questionado por outros jornalistas sobre a cena de irritação, Serra negou e disse que estava “com estômago ruim” porque não tinha tomado café da manhã.

Ouça o áudio da conversa entre Márcia e Serra aqui:

Fonte: Portal Comunique-se

Curso ensina nova abordagem para incentivar aleitamento materno

Participantes do curso repassam informações para profissionais das unidades básicas de saúde de Foz.

Profissionais das unidades básicas de Foz do Iguaçu estão aprendendo novos métodos para incentivar o aleitamento materno entre as mamães de recém-nascidos. A prática, além de aproximar o contato de mães e filhos, é a melhorar forma de reduzir a mortalidade infantil. A nova abordagem está sendo ensinada no curso de Tutores em Aleitamento Materno, no Refúgio Biológico Bela Vista. O curso é promovido pelo Grupo de Trabalho Itaipu Saúde (GT-Itaipu Saúde), começou na segunda-feira (13) e prossegue até sexta (17).


Sandra Recalde, coordenadora Nacional de Amamentação do Ministério da Saúde do Paraguai, diz que o curso é importante por vários fatores, especialmente como forma de atualização. “Precisamos provocar uma troca de atitude, mostrar os benefícios da amamentação à saúde do bebê e da mãe". Segundo estudos científicos, o aleitamento materno é a estratégia isolada mais eficaz e barata para prevenir mortes de recém-nascidos nos seus primeiros meses de vida. Pode reduzir em até 13% o índice de mortalidade infantil.

Depois de formados, esses tutores em aleitamento formarão os grupos de apoio às gestantes e aos bebês, nos três lados da fronteira. No Paraguai, apenas 25% das crianças são amamentadas”, disse. O índice de mortalidade é o dobro do aceito pela Organização Mundial de Saúde (OMS): 20 óbitos a cada mil nascidos.

Atualização é necessária

Noemia (à esquerda) aprende novas formas de incentivar as mães a amamentar.


Noemia Zanete Martins atua como técnica em enfermagem em postos de saúde há 32 anos. Para ela, o curso é importante porque traz dados novos sobre o tema. Lotada na unidade do AKLP, próximo à Vila A, como coordenadora de imunização, explica que os postos estavam desatualizados sobre a forma de abordagem nestes casos. “Estávamos aplicando as mesmas orientações de 20 anos atrás. Agora, recebemos dicas atuais de como abordar a mãe e incentivar a prática da amamentação”.

A expectativa, a partir do curso, é ajudar a reduzir ainda mais os índices de mortalidade infantil na cidade. Em Foz do Iguaçu, de acordo com dados da Secretaria Estadual da Saúde, 13 a cada mil bebês, morrem antes de completar um ano de vida.

Fonte: JIE

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Zé Dirceu cumpre agenda em Foz, nesta quinta-feira

O ex-ministro Chefe da Casa Civil, José Dirceu cumpre agenda política em Foz do Iguaçu, nesta quinta-feira, 16.

Ele desembarca na cidade às 18h. Na Sala Santiago, do Hotel Mabu, às 18h30, concede coletiva aos jornalistas de toda a região.

Antes da entrevista, Zé Dirceu fará uma análise da campanha de Dilma Roussef à Presidência da República em todo o Brasil, bem como da repercussão e do crescimento da aprovação da candidata na Região Sul do país, mais especificamente no Paraná.

Segundo pesquisa realizada pelo Instituto Sensus, encomendada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT), e divulgada na terça-feira (14) Dilma Rousseff, tem 50,5% das intenções de voto, enquanto José Serra, do PSDB, aparece com 26,4%.

A diferença chega a 24,1 pontos, levando em conta a pesquisa estimulada. Caso esses números se confirmem nas urnas, Dilma Rousseff será eleita em primeiro turno.

Na estimulada anterior, Dilma aparecia com 46% das intenções de voto, José Serra com 28,1%. A candidata petista cresceu 6,8 pontos desde 24 de agosto, quando foi divulgado o último levantamento. O tucano teve redução de 1,7 ponto percentual.

Ao governo do Paraná

A visita à Foz tem como objetivo, ainda, alavancar a campanha eleitoral de Osmar Dias, ao Governo do Paraná. E ao senado, fortalecer Gleisi Hoffmann e Roberto Requião.

Para a Câmara dos Deputados, em Brasília, o apoio é para Zeca Dirceu.


O Zé


José Dirceu de Oliveira e Silva é considerado um dos políticos mais polêmicos do Brasil. Ele desperta sentimentos fortes: de amor e ódio. O mineiro Zé Dirceu foi guerrilheiro na década de 70 e chegou a ser o ministro mais poderoso do primeiro mandato do governo do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. Ele é também um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT).

População: 50% já são classe média

Estudos da Fundação Getúlio Vargas (FGV-Rio) coordenados pelo economista Marcelo Neri indicam que metade da população brasileira já integra a classe C (classe média) e que no ano passado a renda dos segmentos mais pobres cresceu a um ritmo quase três vezes superior ao dos mais ricos. Pelo levantamento o poder aquisitivo dos setores mais carentes teve ganhos da ordem de 3,15% e o dos mais abastados de 1,09%.


Os estudos têm como base a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD-2009-IBGE) e, segundo Marcelo, registram que a renda dos brasileiros nos últimos anos tem crescido mais que o PIB. Enquanto este avançou à média de 3,78% ao ano de 2003 a 2008, a renda se expandiu a um ritmo de 5,26% ao ano.

Mesmo no ano passado, auge da crise econômico-financeira global, o PIB per capita caiu 1,5%, mas a renda subiu 2,04%. Marcelo enquadra na classe C as famílias com renda mensal entre R$ 1.116 e R$ 4.854, uma classe hoje composta por 94,9 milhões de pessoas.

De acordo com o economista da FGV-Rio, em termos de ascensão social e aumento da renda, o Brasil vive hoje um crescimento comparável ao registrado na China, com uma diferença: "o boom brasileiro recente vem acompanhado de maior equidade, enquanto a China vive uma crescente desigualdade, similar à que vivemos durante o milagre econômico brasileiro".

Simultaneamente à divulgação por Marcelo de seu estudo, a FGV divulgou que a inflação de agosto pp. para os mais pobres caiu bem mais do que para o restante da população. Para as famílias de baixa renda caiu 0,44% em agosto, segundo o IPC-C1 (Índice de Preços ao Consumidor-Classe 1), medido pela Fundação. Foi a 3ª queda consecutiva do índice.

Fonte: Blog do Zé

Profissionais de três países se unem para incentivar o aleitamento materno


Trinta e dois profissionais da área de saúde do Brasil, Paraguai e Argentina, participam do curso.

Começou nesta segunda-feira (13), no Refúgio Biológico Bela Vista (RBV), o curso “Formação de Tutores em Aleitamento Materno na Tríplice Fronteira”. O curso é organizado pelo Grupo de Trabalho Itaipu-Saúde (GT-Itaipu Saúde) e segue até sexta-feira (17). Participam 32 pessoas. Entre eles, médicos, enfermeiros, psicólogos e nutricionistas do Brasil, Paraguai e Argentina. Após a capacitação, eles se tornarão tutores em aleitamento materno.

Pesquisas científicas apontam: o aleitamento materno é a estratégia isolada mais eficaz para prevenir mortes de bebês nos seus primeiros meses de vida. Pode reduzir em até 13% o índice de mortalidade infantil – daí a importância de formar tutores capazes de incentivar mães a amamentar o filho durante os primeiros seis meses de vida e, até os dois anos, complementando com outros tipos de alimento.

“Após as 40 horas de curso eles sairão prontos para incentivar o aleitamento", diz Lylian Dalet Araújo.


“Após as 40 horas de curso, os médicos e enfermeiros sairão prontos para cuidar da saúde das gestantes, bem como das mães durante o pós-parto e incentivar o aleitamento”, disse a enfermeira Lylian Dalet Araújo, coordenadora da Rede Amamenta Brasil, do Ministério da Saúde. “Na raça humana, biologicamente está determinado que somos mamíferos, mas o aleitamento está socialmente condicionado”, explicou Lylian. Segundo ela, a prática depende da experiência da família, do médico e até da moda.

Leite materno reduz mortalidade

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera como “aceitável” um coeficiente de mortalidade infantil inferior a dez óbitos para cada mil bebês nascidos vivos. Atualmente, na Argentina 14 bebês – a cada mil - morrem antes de completar um ano de vida; no Paraguai e no Brasil o número sobe para quase 20. “O gestor inteligente forma estes grupos de apoio. É uma ação barata para reduzir a mortalidade infantil e o retorno é impactante”, justificou Lylian.

Brasil e Paraguai precisam melhorar

No Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde, em 2008, o tempo médio de aleitamento foi de 342 dias. Menos da metade do considerado ideal. No Paraguai a situação não é diferente. De acordo a coordenadora Nacional de Amamentação do Ministério da Saúde, Sandr Recalde, a maioria das mulheres deixa de amamentar logo nos primeiros três meses por falta de leite.

O problema pode estar ligado a fatores psicológicos ou de alimentação. O resultado é uma população infantil doente e frágil. No país vizinho, 76% das mortes de recém-nascidos ocorrem por doenças infecciosas, vinculadas à desnutrição.


“Incentivamos o aleitamento, mas ainda é insuficiente para garantir a saúde dos nossos bebês. Implantaremos a rede nas unidades básicas de saúde”, completou a médica Argentina, Fanny Elisa Almeida.

Fonte:JIE

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Sinto vergonha de mim!

Por Ruy Barbosa
"Por ter sido educador de parte desse povo,
por ter batalhado sempre pela justiça,
por compactuar com a honestidade,
por primar pela verdade
e por ver este povo já chamado varonil
enveredar pelo caminho da desonra.

Sinto vergonha de mim
por ter feito parte de uma era
Que lutou pela democracia,
pela liberdade de ser
e ter que entregar aos meus filhos,
simples e abominavelmente,
a derrota das virtudes pelos vícios,
a ausência da sensatez
no julgamento da verdade,
a negligência com a família,
célula-mater da sociedade,
a demasiada preocupação
com o "eu" feliz a qualquer custo,
buscando a tal "felicidade"
em caminhos eivados de desrespeito
para com o seu próximo.

Tenho vergonha de mim
pela passividade em ouvir,
sem despejar meu verbo,
a tantas desculpas ditadas
pelo orgulho e vaidade,
a tanta falta de humildade
para reconhecer um erro cometido,
a tantos "floreios" para justificar
atos criminosos,
a tanta relutância
em esquecer a antiga posição
de sempre "contestar",
voltar atrás
e mudar o futuro.

'Tenho vergonha de mim
pois faço parte de um povo
que não reconheço,
enveredando por caminhos
que não quero percorrer...

Tenho vergonha da minha impotência,
da minha falta de garra,
das minhas desilusões
e do meu cansaço.
Não tenho para onde ir
pois amo este meu chão,
vibro ao ouvir meu Hino
e jamais usei a minha Bandeira
para enxugar o meu suor
ou enrolar meu corpo
na pecaminosa manifestação de nacionalidade.

Ao lado da vergonha de mim,
tenho tanta pena de ti, povo brasileiro!

"De tanto ver triunfar as nulidades,
de tanto ver prosperar a desonra,
de tanto ver crescer a injustiça,
de tanto ver agigantarem-se os poderes
nas mãos dos maus,
o homem chega a desanimar da virtude,
a rir-se da honra,
a ter vergonha de ser honesto".

Mídia comercial ignora denúncia que filha de Serra abriu contas bancárias

São Paulo – Duas reportagens publicadas neste fim de semana tinham a tarefa de agitar o noticiário eleitoral. A primeira, sob o título Sinais trocados, foi publicada por Leandro Fortes em Carta Capital e narra o episódio em que a empresa de Verônica Serra, filha de José Serra, deixou, em 2001, os dados bancários de 60 milhões de brasileiros expostos a visitação pública durante 60 dias. A segunda, publicada pela revista Veja, conta que o filho da ministra-chefe da Casa Civil supostamente vende facilidades aos que querem fechar contratos com o Estado.

Uma delas, no entanto, foi ignorada pelos jornais de maior peso, os chamados “jornalões”. Não é difícil imaginar qual. A reportagem de Leandro Fortes sobre Verônica Serra não ganhou uma linha em O Globo, O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo. A matéria de Veja, por outro lado, foi o destaque de capa de dois deles, que dedicam boa parte de seu noticiário dominical à repercussão do tema.

O candidato do PSDB, que vem sendo convidado diariamente a opinar sobre a quebra de sigilo fiscal de sua filha, foi novamente ouvido. Não sobre o episódio da Decidir.com, empresa que tinha sua filha como sócia, mas sobre a Capital Assessoria e Consultoria, do filho de Erenice Guerra, sempre apresentada como “braço-direito” de Dilma Rousseff.

Diferenças

É um bom exercício para o começo desta semana imaginar por que os jornais nada noticiaram sobre a reportagem de Carta Capital. A revista sofre de falta de credibilidade? Certamente não. Além de contar com a assinatura de Mino Carta, um dos jornalistas de melhor reputação do país, a revista não tem, ao longo de sua existência, um histórico de desmentidos e de distorção de fatos.

Quanto a Veja, reputação ilibada não tem sido um sinônimo da semanal da Abril. Foram muitos os episódios em que especialistas e autoridades tiveram de vir a público afirmar que nada haviam dito à revista ou que tiveram suas falas distorcidas. Este caso não é diferente. Fábio Baracat, empresário que aparece na reportagem deste fim de semana afirmando ter sido obrigado a negociar o pagamento de propinas com Ismael Guerra, emitiu nota mostrando-se “surpreendido” pela reportagem.

“Primeiramente gostaria de esclarecer que não sou e não fui funcionário, representante da empresa Vianet, ou a representei em qualquer assunto comercial, como foi noticiado (…) Durante o período em que atuei na defesa dos interesses comerciais da MTA, conheci Israel Guerra, como profissional que atuava na organização da documentação da empresa para participar de licitações, cuja remuneração previa percentual sobre eventual êxito, o qual repita-se, não era garantido (…) Acredito que tenha contribuído com o esclarecimento dos fatos, na certeza de que fui mais uma personagem de um joguete político-eleitoral irresponsável do qual não participo.”

Motivos

A vontade dos grandes jornais em mostrar episódios que possam enfraquecer a candidata Dilma Rousseff gera estranheza até mesmo dentro dessas redações. Na última semana, a Folha publicou que um erro da ex-ministra havia provocado prejuízo de R$ 1 bilhão. A notícia, sem base real, virou motivo de piada na internet, e um viral reproduzido pelo Twitter entrou para os principais tópicos mundiais da rede social.

Neste domingo, a ombudsman Suzana Singer chama atenção dos editores da Folha. “O jornal avançou o sinal.” Ela complementa: “Foi iniciativa de Dilma criar a tal tarifa social? Não, foi instituída no governo Fernando Henrique Cardoso.” A ombudsman pede que o jornal deixe o próprio leitor chegar a suas conclusões, sem direcionamentos, e lembra que não tem havido a mesma crítica à gestão de Serra em São Paulo. “A Folha deveria retomar o equilíbrio na sua cobertura eleitoral e abrir espaço para vozes dissonantes. O apartidarismo – e não ter medo de crítica – sempre foram características preciosas deste jornal.”

Neste momento, como os institutos de pesquisa indicam que é muito pequena a possibilidade de Dilma perder a eleição, é preciso considerar outros interesses na divulgação de algumas notícias. O Painel da Folha dá uma pista ao falar do caso: “Até agora, ela era dada como nome certo num eventual governo Dilma.” O blog Vi o Mundo, de Luiz Carlos Azenha, levanta uma indagação: “Será que tem o dedo de outros candidatos ao cargo na capa da Veja? Ou será que o Civita quer indicar o primeiro-ministro de um eventual governo Dilma?”

Mora aí uma diferença fundamental das atuais eleições. Ainda não se sabe qual será o real impacto da internet sobre os números finais da votação de 3 de outubro, mas a rede se converteu em um espaço para tentar difundir propostas - a favor ou contra os candidatos - e notícias que são ignoradas pela mídia comercial.

Fonte: Rede Brasil Atual

http://www.redebrasilatual.com.br/multimidia/blogs/blog-na-rede/midia-comercial-ignora-denuncia-envolvendo-filha-de-serra

Um selo como incentivo

As empresas de Foz do Iguaçu e região que aderirem ao ViraVida – projeto que oferecerá cursos de capacitação e renda de R$ 500 reais por mês para 100 jovens em situação de risco– serão certificadas pelo Sesi (Serviço Social da Indústria) com um selo de responsabilidade social. E os cursos, com duração média de nove meses, devem começar no máximo em 40 dias.


O selo será concedido às empresas que contratarem os jovens de Foz do Iguaçu, que serão formados pelo ViraVida. Cerca de 30 empresas fornecedoras e prestadoras de serviço de Itaipu já foram convidadas a participar do projeto como contratantes destes jovens. Outro foco do projeto é a rede hoteleira de Foz do Iguaçu, que tem 159 estabelecimentos catalogados pelo sindicato do setor.

O presidente do Conselho Nacional do Sesi, Jair Meneguelli, durante lançamento do ViraVira na última sexta-feira (10): promessa de voltar à Foz do Iguaçu em breve. "O processo está bem adiantado aqui em Foz".

“Este selo será um benefício ao empresário, que terá a responsabilidade social de sua empresa atestada pelo Sesi”, afirmou o presidente do Conselho Nacional do Sesi, Jair Meneguelli. Ele esteve em Foz na sexta-feira (10) para o lançamento do ViraVira, no Refúgio Biológico Bela Vista. O projeto tem apoio de Itaipu.

Na prática, o selo reforça o compromisso das empresas com as questões da infância e da adolescência. Iniciativas semelhantes são adotadas, com sucesso, pela Fundação Abrinq, com o título de Empresa Amiga da Criança, e pela Unicef, com a concessão do selo de município amigo da criança. O selo está em fase de criação, de acordo com Menegelli.

Selos concedidos pela Unicef e Fundação Abrinq servirão de modelo para iniciativa do Sesi do ViraVida.


O diretor-geral brasileiro da Itaipu, Jorge Samek, delegou a coordenação do PPCA para entrar em contato cos fornecedores e prestadores de serviço da empresa para aderirem ao projeto e ao pacto global.

Etapas
A assinatura de um termo de compromisso entre a Itaipu e o Sesi marcou a primeira etapa da implantação do ViraVida em Foz do Iguaçu. À Itaipu, caberá a mediação com fornecedores e prestadores de serviço para a contratação dos jovens que serão assistidos pelo projeto.

O trabalho será coordenado pelo Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente (PPCA) de Itaipu, com apoio do Departamento de Compras da Diretoria Financeira. “Faremos um esforço com nossa rede de fornecedores para que contratem esses jovens”, disse o diretor-geral brasileiro de Itaipu, Jorge Samek.


A segunda etapa é a definição dos jovens que serão atendidos. O levantamento ficará a cargo da Rede Proteger, formada por 30 entidades e organizações de assistência social de Foz do Iguaçu, com ajuda da Secretaria de Estado da Criança e da Juventude.Terão prioridade os jovens vítimas de exploração sexual, com idade entre 16 e 22 anos.


Em seguida, o grupo selecionado será ouvido para a definição dos cursos. O trabalho deve ser concluído em 40 dias, quando os jovens já começam a ser atendidos, prevê o Conselho Nacional do Sesi. “Tudo será feito em parceria com os jovens, levando em consideração a realidade da nossa região”, disse a coordenadora do Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente, Gladis Mirtha Baez.


Em 2009, o Creas (Centro de Referência Especializado da Assistência Social) de Foz do Iguaçu atendeu 317 casos de exploração sexual de crianças e jovens, e 425 denúncias de trabalho infantil.


Mais de 120 pessoas estiveram no Refúgio Biológico para o lançamento do projeto em Foz do Iguaçu. Em 40 dias, os jovens já começarão a ser atendidos.

Pacto
Além do ViraVida, Itaipu aproveitará o contato com a rede de fornecedores e prestadores de serviços para apresentar o pacto corporativo de combate à violência sexual contra crianças e adolescentes.


Itaipu é uma das 24 empresas signatárias do documento, definido como “Declaração de Compromisso Corporativo no Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes”. A adesão ocorreu no último dia 23, no Rio de Janeiro.


O Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e o Sest/Senat (Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte) também participarão do VIraVida em de Foz do Iguaçu. No Paraná, o projeto também está sendo implantado em Curitiba e em Londrina.

Fonte: JIE

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

ViraVida vai dar chance real do 1º emprego a adolescentes em situação de risco


Compromisso firmado: Edson Campagnolo, vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Jorge Samek e Jair Meneguelli.

Na mesa, também estavam presentes o prefeito Paulo MacDonald e Telma de Oliveira, secretária estadual da Criança.


Jovens e adolescentes vulneráveis ao tráfico de drogas e vítimas de exploração sexual e violência doméstica na região da fronteira do Brasil com o Paraguai e Argentina serão o público-alvo da primeira ação concreta do ViraVida, em Foz do Iguaçu. O projeto, uma parceria de Itaipu e Sesi, foi lançado nesta sexta-feira pela manhã, no Refúgio Biológico Bela Vista.


Inicialmente, 100 jovens, com idade entre 16 e 22 anos - serão beneficiados. Depois de passar por cursos de capacitação do Sesi, eles ganharão a chance real do primeiro emprego. É aí que entra o papel de Itaipu como mediadora do processo.

Jovem entre carros nas ruas de Foz do Iguaçu: público-alvo do projeto ViraVira.


A empresa se compromete a exigir de seus fornecedores e prestadoras de serviço a contratação dos jovens capacitados em seus quadros funcionais. O convênio foi feito com o Sesi por meio do Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente da Itaipu.

A solenidade reuniu agora pela manhã, no Refúgio Biológico Bela Vista, cerca de 120 pessoas ligadas à rede de atendimento à crianças e adolescentes de Foz do Iguaçu, ao trade turístico local, às empresas prestadoras de serviço de Itaipu e da prefeitura, e entidades patrocinadoras do projeto, criado e mantido pelo Conselho Nacional do Serviço Social da Indústria (Sesi).

O evento reuniu cerca de 120 pessoas no Refúgio Biológico Bela Vista.

Samek: orgulho em participar de uma proposta "com começo, meio e fim".

"A Rede de Proteção de Foz tem feito muito pela criança e adolescente, mas faltava um programa como esse, com começo, meio e fim. E participar de uma proposta como essa nos enche de orgulho", disse o diretor-geral brasileiro, Jorge Samek, durante o evento. Na ocasião, o DGB assinou o termo de adesão de Itaipu ao ViraVida, que oficializou o compromisso da empresa como mediadora do programa.


Não existem dados atuais de quantos jovens vivem em situação de risco na fronteira. O último relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT) apontava pouco mais de três mil crianças e adolescentes na faixa entre Brasil, Paraguai e Argentina. Embora muitos tenham sido encaminhados e atendidos por projetos sociais, sem escolaridade, baixa renda e imputabilidade penal, muitos se tornam alvos fáceis da atuação do crime organizado, como tráfico e contrabando.


Há seis meses, uma entidade que prefere não ter o nome identificado, está fazendo um rastreamento em Foz do Iguaçu para apurar os bairros com incidência de crianças e adolescentes em situação de risco. Em Três Lagoas, a situação foi identificada como a mais grave, mas o estudo ainda não é conclusivo.

Jovens terão cursos de capacitação e ganharão a chance real de conquistar o primeiro emprego.

Como é o projeto

Para evitar a evasão durante o período dos cursos, que terão nove meses de duração, em média, os jovens que participarem do projeto ViraVida receberão uma ajuda de custo de R$ 500, dos quais R$ 100 serão depositados numa poupança. Os participantes poderão fazer o resgate do dinheiro ao final do curso. O treinamento inclui atendimentos psicossocial, odontológico, médico, e reforço escolar.


Como esses jovens serão escolhidos? A pré-seleção será feita pela Rede Proteger, que reúne 30 entidades e organizações de assistência social de Foz do Iguaçu. A instituição encaminhará os jovens para o processo seletivo no Sesi. A Secretaria Estadual da Criança e do Adolescente também ajudará nessa triagem, segundo a secretária da pasta, Thelma Alves de Oliveira, que esteve na assinatura do termo.


Também será por meio da rede de atendimento que o Sesi identificará os cursos adequados à realidade do jovens iguaçuenses. Em média, eles terão 700 horas/aula. Criado pelo Conselho Nacional do Serviço Social da Indústria (Sesi) para atender adolescentes em situação de risco, o ViraVida prevê a capacitação de jovens e adolescentes e sua inserção imediata no mercado de trabalho.

Como surgiu o ViraVida

Jair Meneguelli, criador do projeto: meta é capacitar, no Brasil, 2,7 mil adolescentes por ano.

Atualmente, o projeto ViraVida beneficia mais de 900 jovens em todo o Brasil. Está presente em pelo menos 12 cidades brasileiras, mas a expectativa do presidente do Conselho Nacional do Sesi, Jair Meneguelli, criador do projeto, é chegar aos 27 estados brasileiros. "Não queremos fazer algo astronômico. Mas capacitaremos em média 2,7 mil adolescentes por ano", afirmou.

Ele teve a ideia do projeto há dois anos, durante uma viagem de férias. Sentados em uma barraca, às 11h de uma quarta-feira, na Praia do Futuro, em Fortaleza, Meneguelli e a esposa, Edna, observaram um grupo de italianos alvoroçados e conversando com algumas mulheres, depois identificadas como agenciadoras.

Como se estivessem "pedindo uma água de coco", os turistas estrangeiros escolhiam a cor e a idade das jovens cearenses. Poucos minutos depois, as agenciadoras "entregavam" as meninas. "Aquela cena me revoltou. Paguei a minha cerveja e fui embora", disse.

Nas ruas, jovens e adolescentes são vulneráveis ao tráfico e à exploração sexual.


Entretanto, o problema não era apenas a ação em si, mas tudo que estava envolvido: agências de turismo, donos de restaurantes e bares, polícias etc. "As pessoas agiam com a maior naturalidade. Não são minhas filhas mesmo. Apenas queriam levar vantagem", observou.

Revoltado com a cena presenciada em Fortaleza, após as férias, Meneguelli apresentou ao Sesi a proposta de oferecer aos jovens em situação de vulnerabilidade social uma oportunidade: cursos profissionalizantes. "Não queríamos inventar a roda. Buscamos as redes de enfrentamento e pedimos apoio para indicar os adolescentes e depois, coloca-los no mercado de trabalho", explicou.

Fonte: JIE