segunda-feira, 29 de abril de 2013

Conselho Comunitário da Vila C oferece cursos profissionalizantes


A demanda pelos cursos foi identificada na Feira de Profissões, que aconteceu em março, no CCVC.
  
Um grupo de 90 pessoas terá uma profissão e uma chance clara de emprego nos próximos três meses. Começaram as aulas dos cursos de Eletricista, Manicure e Pedicure, Auxiliar de Cabeleireira e Recepcionista oferecido pelo Conselho Comunitário da Vila C (CCVC), em Foz do Iguaçu. As aulas são ministradas no CCVC e contam com o apoio da Itaipu, por meio do Programa Energia Solidária, Senai e Senac.
  
Ainda neste semestre, outros nove cursos profissionalizantes serão oferecidos gratuitamente a 190 moradores do bairro. Entre as capacitações, Auxiliar Administrativo, Cozinheiro, Instalação e Manutenção de Ar Condicionado, Pedreiro e Azulejista.
   
Segundo Márcio Bortolini, da Assistência da Diretoria Geral, o leque de cursos e os horários das aulas foram levantados durante a Feira das Profissões, realizada em março, no CCVC. Por meio da Feira foi possível identificar os cursos e horários mais atraentes à comunidade e fazer uma análise da demanda do mercado. Para Bortolini, a expectativa é positiva. “Os alunos devem terminar o curso empregados, pois há vagas disponíveis, inclusive na própria região da Vila C”, disse.
  
De acordo com Sandra Simon, coordenadora técnica de negócios do Senai, o objetivo da instituição é contribuir para que os profissionais sejam inseridos no mercado de trabalho ou atuem de forma autônoma. “Quando se tem uma profissão e um emprego o ser humano se sente mais valorizado e com a auto-estima em alta.”
  
Os interessados podem entrar em contato pelo telefone (45) 3575-7694.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Instituto Paz no Trânsito é o novo parceiro do GT Itaipu-Saúde

O Instituto Paz no Trânsito (Iptran), de Curitiba, é o novo parceiro do Grupo de Trabalho Itaipu-Saúde (GT Itaipu-Saúde) na luta para reduzir o número acidentes na Tríplice Fronteira. O anúncio foi feito terça-feira (23), durante a reunião do grupo, no Parque Tecnológico Itaipu (PTI)
    
Criado há três anos, a experiência do Iptran em campanhas de conscientização e prevenção de acidentes será compartilhada com a comissão de Acidentes e Violências do GT Itaipu-Saúde, que reúne profissionais do Brasil, Paraguai e da Argentina.
   
“Convidamos o Iptran para apresentar o trabalho exitoso realizado na capital. Com certeza, as experiências deles poderão ser aplicadas na nossa região”, disse Luciana Bueno Sartori, gerente do GT-Saúde.
    
   
Uma das principais propostas é trabalhar a educação no trânsito. Na fronteira, trafegam automóveis de três países, onde os costumes e as leis são diferentes.
   
Segundo Christiane Yared, presidente do Iptran, a experiência do GT-Saúde também vai ajudar o instituto. “Queremos trocar experiências e, assim, promover um trânsito mais seguro para as futuras gerações”, disse.
   
Atualmente, no País, 40 milhões de brasileiros têm alguma sequela provocada por colisões ou atropelamentos; e de cada dez leitos dos hospitais, sete estão ocupados com vítimas de acidentes. “Precisamos mudar a consciência das pessoas no mundo. O ser humano não pode virar número em um relatório”, reforçou Christiane.
    
Grupo reunido para discutir ações para melhorar o trânsito na tríplice fronteira. 
   
Motorista-cegonha
  
Uma das ações desenvolvidas no Iptran que pode ser aplicada na região é a Motorista Cegonha, que empresta cadeirinhas ou bebê-conforto para famílias de baixa renda. Os equipamentos são entregue aos pais já na maternidade.
    
Em média, uma cadeirinha custa R$ 350, valor que dificulta a compra por muitas famílias de baixa renda – que, sem opções, arriscam a segurança da criança no automóvel ao carregá-la no colo.
    
Além da doação, o projeto visa sensibilizar e conscientizar casais gestantes, desde a saída da maternidade, sobre a importância do uso de equipamentos de segurança específicos (bebê-conforto, cadeirinha e Booster) para crianças até sete anos, idade na qual já é permitido o uso do cinto de segurança convencional.
   
Outra proposta é transformar infratores em educadores. O Iptran acolhe o motorista infrator para participar de palestras educativas. Muitos passam a ser educadores de trânsito seguro em suas comunidades. “Tivemos casos de motoristas que venderam o carro por chegar a conclusão de que não conseguiriam deixar de beber”, relatou Christiane. 

Fonte: JIE

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Encontro nacional em Foz vai discutir o tráfico de mulheres



Encontro no Centro Executivo, na segunda-feira (22), definiu os detalhes da programação da oficina.
   
O tráfico de mulheres é um crime de mão dupla; ocorre do Brasil para o exterior, mas também de fora para o interior do País. Depois de Florianópolis (SC), Foz do Iguaçu será a segunda cidade brasileira a sediar um encontro sobre o tema promovido pela Associação de Mulheres pela Paz. A discussão está marcada para os dias 8, 9 e 10 de maio, no Hotel Bella Itália.
    
A oficina “Mulheres e Homens Trabalhando pela Paz e Contra o Tráfico de Mulheres” vai reunir representantes de entidades ligadas à luta pelo direito das mulheres, como também da Polícia Federal, para debater políticas públicas de prevenção e enfrentamento ao problema. O encontro tem o apoio da Itaipu Binacional.
    
Um dos objetivos é mobilizar a sociedade contra esse tipo de crime, que movimenta milhões de dólares. Não existem estatísticas confiáveis, mas o tráfico de mulheres aparece entre os primeiros do ranking do crime organizado como um dos mais rentáveis, ao lado de contrabando de armas e drogas.
    
De acordo com a Polícia Federal, existem 241 rotas de tráfico no Brasil; 131 delas internacionais. A fronteira do Brasil com o Paraguai é uma delas. A maior parte das mulheres traficadas são meninas pobres, entre 17 e 25 anos. Muitas delas são atraídas por promessas falsas de emprego no exterior como modelos ou empregadas domésticas.
   
As palestras seguem por todo o Brasil. O cronograma inclui São Paulo, Rio Branco, Oiapoque, Natal e Cuiabá.  A Associação de Mulheres pela Paz quer aproveitar o sucesso da novela Salve Jorge, que explora o assunto, para manter o tema em evidência.
   
Os detalhes da programação em Foz do Iguaçu foram definidos na última segunda-feira (22), em uma reunião no Centro Executivo, com a participação de representantes de várias entidades. Entre elas, a Itaipu, o Movimento de Mulheres, a Universidade Federal de Integração Latino-Americana (Unila) e Polícia Federal.
   
Segundo Criviam Paiva de Siqueira, da Assistência da Diretoria Geral e integrante do Conselho Municipal da Mulher, esse é um trabalho de conscientização. A população não pode tolerar esse tipo de situação. “Precisamos divulgar aos quatro ventos a existência desse crime e as formas de combatê-lo. Somente uma sociedade informada defenderá os direitos humanos”, avalia.
  
Força da novela
  
Segundo o delegado da PF, Geraldo Gustaquio, embora a novela tenha vários “furos” no que diz respeito ao trabalho da polícia, tem ajudado a mostrar a sociedade que o tráfico humano existe e precisa ser combatido.
   
O governo brasileiro vem trabalhando na defesa do direito das mulheres, com a implantação da Lei Maria da Penha, considerada exemplo para outros países, e com a criação da Coordenação Bipartite da Política Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, mas ainda há muito a ser feito nesse campo.
   
Para Vera Vieira, da Associação Mulheres pela Paz, um dos desafios é mobilizar a sociedade para tornar mais severa a punição para esse tipo de crime. Outro é garantir mais Delegacias da Mulher no Brasil. Atualmente, há 400 unidades,  o que cobre apenas 10% dos 5.565 municípios.  A divulgação do Disque-Denúncia 180 é uma arma importante nesse trabalho.
   
Segundo dados do Ministério da Justiça, em seis anos a Polícia Federal instaurou 157 inquéritos e indiciou 381 aliciadores.
  
Florianópolis
  
Pelo menos 75 mil brasileiras são vítimas do tráfico de mulheres. Mas também existe o tráfico de mulheres estrangeiras para se prostituírem no país. Em outubro do ano passado, por exemplo, 28 mulheres paraguaias foram libertadas do trabalho escravo nas cidades de Imbituba e Laguna. Entre 2007 e 2008, sete pessoas foram presas suspeitas de tráfico de mulheres procedentes da Argentina para prostituição em boates em Rio do Sul, no Alto Vale do Itajaí. Todos esses casos foram discutidos no encontro em Florianópolis.

Fonte: JIE

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Atletas de projetos socioesportivos têm encontro com feras dos X Games


Eles já estão acostumados a domar corredeiras e a praticar performances radicais em rios, lagos e nas pistas de atletismo, mas nada que se compare a esportes tão extremos quanto os X Games.
     
 Garotos vibraram com as manobras na pista.

     
Nesta quinta-feira (18), 150 atletas de três projetos socioesportivos patrocinados pela Itaipu Binacional trocaram a água - ou as pistas de atletismo - por um pouco mais de adrenalina na terra e no ar, mas só como espectadores. Eles acompanharam treinos e competições das feras dos esportes radicais, no primeiro dia de disputa dos X Games, em Foz do Iguaçu. E levaram deste dia um incentivo a mais para se dedicarem à vela, à canoagem e ao atletismo, por meio dos projetos Velejar é Preciso, Meninos do Lago e Jovens Atletas – Campeões do Futuro.

A megarrampa impressionou.
      
Os jovens conheceram as cinco rampas e toda a estrutura montada no Parque Infraero, em frente ao Centro de Convenções.  As competições de BMX, Skate, MotoX e Rally prosseguem até domingo (21).
   
Sonho realizado
    
“É um sonho participar de um evento como esse e ainda mais, conhecer novos esportes”, afirmou Mayane Camargo, de 15 anos, integrante do Meninos do Lago. Para ela, que treina diariamente no Canal Itaipu, conhecer toda a estrutura dos X Games “dá um gás extra” para que ela continue remando com garra. “Meu desafio é participar do Campeonato Mundial de Canoagem em 2015”, conta Mayane. O evento será realizado em Foz do Iguaçu e, como os X Games, reunirá atletas do mundo todo.
    
"É um sonho participar de um evento como esse", diz Mayane.
     
A magnitude da estrutura montada para os esportes radicais também deu ânimo para Douglas de Oliveira, de 12 anos, do projeto Velejar é Preciso. “Um dia quero ser atleta em uma competição deste porte. É uma experiência única”, disse.
     

Rafael Borba: sonho de participar da competição.
      
Do Atletas do Futuro, Rafael Borba, de 17 anos, disse ter se emocionado nos X Games. “Nunca imaginei participar disso. Em breve, não quero mais estar em competições como esta apenas nas arquibancadas, mas nas pistas de atletismo, competindo”.
    
Ação social
    
O convite para a visita dos jovens foi feito pela própria organização do X Games. Até domingo, cerca de 500 meninos e meninas carentes de Foz assistirão às disputas. Também foram convidados os filhos do pessoal que atua na retaguarda do evento, como porteiros, faxineiros e seguranças.
     
“Queremos dar a esses jovens a oportunidade de conhecer o que está acontecendo na cidade deles. É uma forma de envolvê-los no evento”, disse Thais Tavares, coordenadora de Sustentabilidade e Ações Sociais dos X Games.
      
A visita foi acompanhada pelos representantes de Itaipu, Márcio Bortolini, do Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente (PPCA) da Assistência da Diretoria Geral (AS.GB) e Rebecca Montanheiro, da Divisão de Relações Públicas (CSRP.GB). “Não foi só uma oportunidade para os adolescentes conhecerem outros esportes, mas também para incentivá-los a treinar com afinco”, avaliou Bortolini.
     
Para o superintendente da Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa), Argos Rodrigues, ter ido aos X Games foi um presente e uma aula para os adolescentes. “Além do entretenimento, eles puderam vislumbrar um futuro promissor por meio do esporte e em breve ser as estrelas de eventos esportivos de alto rendimento”.

Fonte: JIE

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Itaipu entrega equipamentos à Associação dos Engenheiros

A Itaipu Binacional repassou computadores e móveis para a Associação dos Arquitetos, Agrônomos e Engenheiros de Foz do Iguaçu (Aefi). A doação ocorreu nesta quarta-feira (17). Entre os bens estão três computadores, três notebooks, uma geladeira, uma televisão 29 polegadas, além de mesas e armários para escritório. Os equipamentos doados faziam parte do acervo da empresa, mas agora serão utilizados na sede da Associação.
        
Segundo o assistente do diretor-geral, Joel de Lima, essa ação reforça ainda mais a parceria entre a Itaipu e a Aefi. “Queremos trabalhar em parceria, pois com certeza há muito conhecimento acumulado entre os associados”, disse.
     
“Convidamos os engenheiros e arquitetos da Itaipu para se associarem à instituição. Com certeza, temos muito a aprender com experiência deles”, disse Renato Pena Camargo, diretor de esportes da Aefi.  E completou: “Todo mês promovemos cursos. Queremos sugestões de temas e também de palestrantes”.
     
O próximo curso será sobre o “Novo Código de Segurança contra Incêndio e Pânico”, nos dias 12 e 13 de junho.
    
Aefi

     
A Associação foi fundada em setembro de 1981. Nesses 32 anos, já teve como presidente vários colegas de Itaipu, como Miguel Sória e Elian Nascimento. Atualmente, a Aefi conta com 79 associados. O telefone é (45) 3573-1723.


Fonte: JIE

UPAS: 13 municípios paranaenses receberão novas unidades


O Ministério da Saúde publicou nesta quarta-feira, 17, no Diário Oficial, a seleção dos 13 municípios paranaenses que receberão recursos para construção de novas unidades ou ampliação das UPAs - Unidades de Pronto Atendimento: Colorado, Cornélio Procópio, Goioerê, Guaíra, Ibaiti, Irati, Marechal Cândido Rondon, Matinhos, Medianeira, Pitanga, Santo Antônio da Platina, Toledo e União da Vitória.

Os municípios de Cornélio Procópio e União da Vitória serão contemplados com recursos para ampliação de unidades já existentes, todas do tipo I. As demais cidades receberão verbas para construir novas unidades também do tipo I, para cidades com população entre 50 mil e 100 mil habitantes. As prefeituras irão receber R$ 2,2 milhões  para a construção das UPAs e equipamentos e terão custeio mensal de R$ 100 mil, pelo ministério. A unidade tipo I tem capacidade de atendimento de 50 a 150 pacientes em 24 horas de funcionamento, com no mínimo dois médicos de plantão, sendo um pediatra e um clínico geral e com 5 a 8 leitos de observação.

A UPA de Toledo será do tipo II, porque possui população entre 100 mil a 200 mil habitantes. O repasse para construção e aquisição de equipamentos será de R$ 3,1 milhões, com custeio mensal de R$ 175 mil. A unidade tipo II tem capacidade de atendimento de 151 a 300 pacientes em 24 horas, com no mínimo quatro médicos de plantão, distribuídos entre pediatras e clínicos gerais e de 9 a 12 leitos de observação.

terça-feira, 16 de abril de 2013

Nucria: Itaipu pede apoio ao Governo e à Prefeitura

A Itaipu Binacional, por meio do Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente (PPCA), pediu o apoio do Governo do Estado e da Prefeitura de Foz do Iguaçu para o Núcleo de Proteção às Crianças e aos Adolescentes Vítimas de Crimes (Nucria).
     
A delegacia especializada na defesa dos direitos à infância está desde 2011 sem psicólogo e assistente social, profissionais considerados fundamentais para o bom desenvolvimento das atividades. 
     
Na segunda-feira (15), o assistente do diretor-geral da Itaipu, Joel de Lima, a secretária de Assistência Social, Cláudia Pereira, e Cesário Ferreira Silva, da Secretaria Estadual da Família e Desenvolvimento Social fizeram uma visita ao Nucria. Eles foram recebidos pela delegada Mônica Ferracioli.
     
“Em 2004, a Itaipu articulou junto à Secretaria de Segurança Pública do Paraná a implantação da delegacia. Também repassou um imóvel para o funcionamento. O papel da prefeitura era contribuir com a manutenção. Não podemos permitir que continue sem profissionais”, disse Joel.
     
Tanto Cláudia quanto Cesário se prontificaram a buscar alternativas para a contratação do psicólogo e assistente social.
      
“A falta de profissionais já era uma preocupação nossa. Agora, com a campanha do Dia 18 de Maio – Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual e ao Abuso de Crianças e Adolescentes –, é ainda maior. Nesta época, o número de denúncias chega a aumentar 30%. Precisamos da equipe completa”, frisou Joel.
     
Segundo Criviam Paiva de Siqueira, da Assistência da Diretoria Geral, no dia 17 de maio haverá uma caminhada de aproximadamente três quilômetros pelas principais avenidas da cidade. O objetivo é reunir crianças, adolescentes e integrantes das entidades ligadas à defesa do direito infanto-juvenil no município. “Este ano reuniremos todos os órgãos em uma campanha única. Precisamos incentivar o enfrentamento e estimulara denúncia”, disse.
    
Nucria      
O Nucria, inaugurado em dezembro de 2004, foi a primeira delegacia especializada na defesa dos direitos das crianças e dos adolescentes do Brasil. Hoje também há uma em Curitiba.
     
O Núcleo instituído pela parceria do Governo do Estado, Prefeitura Municipal e Itaipu Binacional tem como principal atribuição o combate à exploração sexual, os maus tratos e os abusos sexuais praticados crianças e adolescentes.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Itaipu, PTI e Unila firmam parceria de cooperação técnico-científica

A Itaipu Binacional, a Universidade Federal de Integração Latino-Americana (Unila) e a Fundação Parque Tecnológico Itaipu (FPTI) assinaram na última quinta-feira (11) um acordo de cooperação técnico-científica. O compromisso prevê uma parceria para o desenvolvimento conjunto de atividades de ensino, pesquisa e extensão, com foco na integração da América Latina e o Caribe. 
  
A solenidade aconteceu durante a reunião da Diretoria Executiva da Itaipu Binacional, no Edifício da Produção. O documento foi assinado pelo diretor-geral brasileiro da Itaipu (DGB), Jorge Samek, o reitor da Unila, Hélgio Trindade, e o diretor superintendente do PTI, Juan Carlos Sotuyo.
      
Também participaram da cerimônia o vice-reitor da Unila, Nielsen de Paula Pires, e o diretor-geral paraguaio da Itaipu, Franklin Boccia Romañach.
      
Samek destacou que desde a criação do projeto da Unila, a binacional entendeu o importante papel da Universidade para o desenvolvimento regional e, por isso, apoia sua consolidação institucional. Samek lembrou ainda que essas ações, que também são aplicadas em instituições paraguaias, fazem parte da missão da Itaipu.
        
Já o reitor da Unila, Hélgio Trindade, avalia que, embora voltada para a educação, a instituição mantém um olhar especial para onde está inserida, no caso a região trinacional. Depois do Brasil, o Paraguai é o país que mais tem alunos matriculados na Unila.

 
Acordo
      
O acordo prevê, entre outras ações, a atuação conjunta na captação de recursos diante dos sistemas nacional e estadual de Ciência e Tecnologia, com o objetivo de fomentar a pesquisa. Também está prevista a integração de ações de capacitação com bolsas de estudo na graduação e na pós-graduação, entre outros

Concluída 1ª fase da reforma no Patronato Municipal

A primeira fase das obras para adequação do prédio que abrigará o primeiro Patronato Municipal do Paraná está concluída. Com as reformas no teto e no piso finalizadas, o próximo passo será a troca da fiação elétrica e hidráulica.  Os recursos para a reforma, orçada em R$ 87 mil, foram repassados pela Itaipu Binacional ao Conselho da Comunidade, responsável pela obra.

 A expectativa é que o Patronato comece a funcionar em junho. Quando abrir as portas, terá capacidade para atender até 5 mil pessoas, entre condenados, egressos e familiares.
A parceria envolve a Itaipu Binacional, Conselho da Comunidade, Secretaria de Estado da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (Seju), Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu e Unioeste.
      
Segundo o assistente do diretor-geral da Itaipu, Joel de Lima, cada entidade parceira assumiu seu papel. O governo do estado cedeu o prédio, a prefeitura será responsável pela manutenção e a Itaipu vai reformar. “Também vamos assinar um convênio com a Unioeste para disponibilizar dois advogados e quatro estagiários para o atendimento jurídico aos assistidos”, explicou.
     
A Itaipu também solicitou à Justiça Federal a doação de 40 computadores e impressoras.  “Estamos envolvidos neste projeto porque buscamos o desenvolvimento regional. Re-inserir o egresso na sociedade com certeza é uma forma de alcançarmos nosso objetivo”, disse.
       
De acordo com Lígia Neves (AS.GB), responsável pela parceria por parte da Itaipu, haverá uma equipe multidisciplinar com cerca de 30 profissionais (administrativos, advogados, psicólogos e assistentes sociais) e estagiários de Direito. “Tudo que estamos fazendo está em consonância com a Constituição Federal e a Lei de Execuções Penais. Não estamos inventando nada, apenas fazendo valer a lei. Toda pessoa merece uma segunda chance”, disse Lígia.
      
O Patronato
      
O patronato é um órgão penal que trabalha com condenados em regime aberto – àqueles que estão cumprindo prestação de serviços à comunidade ou em liberdade condicional. Atualmente, há apenas dois no Estado, em Curitiba e em Londrina. Diferentes do de Foz do Iguaçu que será mantido pela prefeitura, são administrados pelo governo estadual.
      
No patronato, o preso terá acesso a informações e a serviços, como regularização de documentos, autorização para viagens, encaminhamento de advogado e até cursos de capacitação. Estão previstas parcerias com entidades como a Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), o Senac e o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).
     
Antes mesmo de começar a funcionar, o órgão já está beneficiando os egressos. A reforma do imóvel está sendo feita por onze apenados contratados pela Construtora Metrosul. Outra ação vem da construtora Mendes Júnior, uma das responsáveis pela obra do campus da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila). A empresa manifestou interesse em contratar 300 egressos ou presos do regime semiaberto.
      
O prédio
     

O prédio está localizado no centro da cidade (Rua Belarmino de Mendonça, 566) e conta com uma área construída de 296 metros quadrados e 1.800 metros quadrados de área total.
       
Além do patronato, no espaço funcionará também o Conselho da Comunidade, a Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (Apac) e o Pró-Egresso (instituição que atua na ressocialização de ex-detentos). “A ideia é criar uma estrutura capaz de auxiliar toda a execução penal da comarca de Foz do Iguaçu”, explicou a presidente do Conselho da Comunidade, Luciane Ferreira.
     
O telefone da entidade é (45) 3522-3212.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Referência: programas sociais de Itaipu podem ser replicados na América Latina

Os programas sociais e ambientais de Itaipu, como o Cultivando Água Boa, o Meninos do Lago e o Programa de Equidade de Gênero poderão ser replicados em outras regiões brasileiras e também em outros países, por meio do trabalho de empresas do setor energético do Brasil e da América Latina.

Representantes visitaram diversos projetos da Itaipu.
       
A ideia surgiu nesta quarta-feira (10), durante visita dos participantes do IV Seminário Internacional Gestão Socialmente Responsável do Setor Energético na América Latina, promovido pelo Comitê Brasileiro da Comissão de Integração Energética Regional (Bracier). Os representantes puderam conhecer um pouco das ações desenvolvidas pela binacional.
Pela manhã, o grupo visitou o Centro Comunitário da Vila C e Centro de Convivência da Vila C, construído com recurso da Itaipu. À tarde, estiveram no Refúgio Biológico Bela Vista e também no Canal da Piracema, onde puderam conferir o treinamento da Seleção Brasileira de Canoagem. O grupo foi acompanhado por Márcio Bortolini, da Assessoria da Diretoria Geral.
     
"Coração bom"
      
Amilkar Jaldin, da Cooperativa Rural de Eletrificacion (CRE), de Santa Cruz, na Bolívia, disse ter ficado surpreso com o trabalho desenvolvido pela Itaipu na Vila C. “Fiquei impressionado. Dificilmente uma empresa se preocupa com os trabalhadores depois do fim do contrato. É preciso ter um bom coração”, disse. Segundo Jaldin, em Santa Cruz, as ações são diferentes. “Procuramos cuidar para manter uma tarifa baixa e assim, beneficiar a população. Mas quem sabe, agora, possamos adotar novas práticas”.



De acordo com Ana Luiza Gonçalves, da Distribuidora da Eletrobras no Piauí, o trabalho desenvolvido por Itaipu é gigantesco, como a própria Usina. “Nossas ações são em menor escala, mas sabemos que se nossa matéria-prima vem da natureza, devemos compensar a comunidade de alguma forma”. E completou: “O cuidado de Itaipu com as nascentes é impressionante. Com certeza vamos replicar na nossa região”.
      
Mulheres
      
Maria Guadalupe Gimenez, da Distribuidora Eletrobras no Amazonas, levará a experiência de Itaipu no cuidado com as mulheres vítimas de violência. Para ela, o Programa de Incentivo à Equidade de Gênero da Itaipu deve ser replicado em todas as empresas do país. “Fazemos palestras sobre a Lei Maria da Penha, mas nunca havíamos pensado em ter uma Casa Abrigo para manter as mulheres vítimas de violência”.
      
Segundo Guadalupe, as atividades desenvolvidas no Centro de Convivência da Vila C e o uso dos dejetos dos animais para produção energia são outros exemplos. “No Amazonas temos muitas pocilgas e vacarias. Acabar com os problemas causados pelos dejetos e ainda ajudar a comunidade será muito positivo”.
         
Encontro
        
O seminário organizado pela Bracier reuniu pela primeira vez, desde a Rio+20, em 2012, as empresas do setor energético da América Latina para alinhar as ações e discutir como podem contribuir para que os compromissos da Conferência da Terra sejam cumpridos. Principalmente a meta estabelecida pela ONU de universalizar o acesso aos serviços modernos de energia até 2030, com ênfase nas fontes renováveis e não poluentes.
       
O evento reuniu em Foz, entre os dias 8 e 10, 113 pessoas de diversas empresas do setor energético, como as brasileiras Eletrobras, Petrobras, Cemig, Copel, Eletronuclear, Eletronorte, além de Yacyretá (Argentina-Paraguai), Salto Grande (Argentina-Uruguai), EPM (Colômbia), entre outras.


Fonte: JIE

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Joel participa do Programa "Band Entrevista", com Luis Henrique Scheffer


O Programa Band Entrevista veiculado no dia 5 de abril pela Band FM, teve como tema  "Políticas sociais, ações e programas da Itaipu Binacional".  A entrevista foi feita pelo jornalista Luis Henrique Scheffer.

O bate-papo contou com a participação do assistente do diretor-geral da Itaipu, Joel de Lima; do secretário de Turismo de Foz do Iguaçu, Jaime Nascimento; do diretor de Memória do Governo do Rio Grande do Sul Márcio Tavares dos Santos e do assessor da Secretaria de Direitos Humanos, Thiago Braga.

Num clima descontraído, Joel de Lima revelou que ações envolvendo Itaipu, Prefeitura, Governo do Estado e Governo Federal vão estar presente na cidade nos próximos anos.

Sobre política, Joel confirmou o nome da Ministra-Chefe da Casa Civil Gleisi Hoffmann como pré-candidata do PT ao governo do Paraná e também mostrou que está pronto para disputar uma vaga na Câmara dos deputados.



terça-feira, 9 de abril de 2013

Foz 100 anos: Fórum ajudará a preparar programação

Será realizado no dia 4 de maio, o “Fórum Preparativo para o Centenário de Foz do Iguaçu”, na sede central da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA), na antiga UNIFOZ.

O centenário é um tema que está sendo desenvolvido por uma comissão organizadora, cuja missão é levantar e colocar em prática ações para festejar os 100 anos da cidade a ser comemorado  no dia 10 de junho de 2014.

Formada por representantes de órgãos municipais, estaduais e federais e entidades diversas, a comissão é coordenada pela Secretaria Municipal de Turismo e pela Fundação Cultural de Foz do Iguaçu.

O fórum servirá para reunir propostas procedentes tanto dos órgãos governamentais, como da iniciativa privada e, principalmente, da população local. Será uma forma de dar voz aos cidadãos e efetivar a participação dos mesmos no planejamento das atividades comemorativas ao centenário.
 
Pioneiros

Desde o início das discussões sobre o centenário, um dos temas que tem merecido destaque é a valorização dos pioneiros da cidade, cujas histórias devem ser lembradas e divulgadas. O envolvimento da comunidade, motivando a sociedade para ações solidárias, também foi levantado como uma das sugestões das entidades participantes da comissão.

Propostas estão sendo reunidas, dentro de uma metodologia de trabalho, e a comissão está fazendo análises de viabilidade das mesmas, para então se preparar uma agenda integrada de ações do município como um todo.

No dia 15 de abril, outra reunião da comissão está agendada, a ser realizada na sala de reuniões do Conselho Municipal de Turismo, localizada no Centro Municipal de Turismo, na Av. das Cataratas, 2.330 – Vila Yolanda e será então definido toda a logística do fórum.

Fonte: Assessoria